Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 15 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

aviação

Alterada em 15/11 às 10h17min

Airbus e Boeing fecham mais de US$ 75 bilhões em encomendas de aviões

A Airbus e a Boeing asseguraram mais de US$ 75 bilhões em contratos de avião de corredor único. Isso demonstra o apetite pelas aeronaves mais populares por companhias aéreas de baixo custo, que esperam crescer mais nos próximos anos.
A Airbus garantiu aquele que é considerado o maior contrato de venda de aeronaves de sua história, de jatos 430 com companhias aéreas ligadas ao fundo de private equity americano Indigo Partners. Esse fundo tem participação em algumas das companhias aéreas de baixo custo que mais crescem em três continentes.
O acordo preliminar, anunciado na quarta-feira no Dubai Airshow, tem um valor inicial de US$ 49,5 bilhões, antes dos descontos de praxe, que podem reduzi-lo em 50% ou mais.
Pouco depois, a Boeing anunciou um acordo com a Flydubai, sediada em Dubai, de até 225 ou mais de seus aviões 737 Max 8, com valor inicial de US$ 27 bilhões. O negócio envolve 175 aeronaves, mas há opção de compra por outras, de acordo com a empresa americana.
A Airbus e a Boeing aumentam agressivamente sua produção de modelos de fileira única para satisfazer a demanda. Analistas alertam, porém, que alguns grandes clientes poderiam cancelar compras mais adiante, particularmente se uma desaceleração econômica prejudicar o crescimento do tráfego aéreo. 
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia