Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 13 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

aviação

Alterada em 13/11 às 11h40min

Demanda de passageiros da Latam cresce 3,8% em outubro; oferta fica estável

Em outubro, a companhia transportou 2,503 milhões de passageiros nos voos domésticos

Em outubro, a companhia transportou 2,503 milhões de passageiros nos voos domésticos


Latam Brasil/Divulgação/JC
O Grupo Latam Airlines divulgou nesta segunda-feira (13) suas estatísticas preliminares operacionais de outubro de 2017. A demanda por voos domésticos no Brasil, medida em passageiros por quilômetros transportados (RPK), cresceu 3,8% ante outubro de 2016. Já a oferta, medida em assentos por quilômetros disponíveis (ASK), ficou estável se comparada aos níveis de igual período do ano passado. Com isso, a taxa de ocupação avançou 3,1 pontos percentuais, alcançando 85,5%.
Durante o mês de outubro, a Latam Brasil transportou 2,503 milhões de passageiros nos voos domésticos nacionais, volume 4,6% maior frente ao anotado no mesmo mês de 2016.
Em todo sistema Latam, incluindo os voos domésticos nos demais países em que opera e os voos internacionais, o tráfego de passageiros cresceu 4,2%, enquanto a oferta avançou 2,7%. Com isso, a taxa de ocupação para o mês aumentou 1,3 ponto porcentual, para 86,9%.
Segundo a companhia, o tráfego internacional de passageiros representou aproximadamente 57% do transporte total de passageiros no mês. Neste segmento, a demanda cresceu 4,8% em outubro, enquanto a oferta ampliou-se em 5,0%, levando a taxa de ocupação a cair 0,2 p.p. ante igual mês de 2016, para 88,4%.
Por sua vez, a operação doméstica do Grupo em países de língua espanhola (Chile, Peru, Argentina, Equador e Colômbia) registrou um avanço de 3,1% da demanda, ao passo que a oferta mostrou estabilidade ante outubro de 2016. Com isso, a taxa de ocupação subiu 2,5 p.p. em relação ao mesmo período de 2016, para 84,2%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia