Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 07 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 07/11 às 11h13min

Bovespa abre em queda com mau humor sobre Previdência e exterior fraco

A Bovespa abriu em queda nesta terça-feira (7) devolvendo os ganhos de 0,53% da véspera, em meio à constatação por parte do mercado de que a reforma da Previdência não será mesmo aprovada neste ano, conforme admitiu na segunda-feira (6) o presidente Michel Temer. Além do mau humor local, os negócios também são influenciados negativamente pelo exterior, onde as bolsas da Europa e os índices futuros em Wall Street dão sinais de cansaço após os ganhos registrados na véspera, quando foram impulsionados pela recuperação dos preços do petróleo.
Às 10h40min, o Ibovespa recuava 0,54%, aos 73.906,77 pontos, pressionado pelas ações de Petrobras, Vale e bancos. Por outro lado, os ganhos do índice à vista são liderados por Eletrobras PNB, que sobe mais de 5,0% em uma reação positiva ao decreto publicado nesta terça no Diário Oficial que regulamenta os termos da privatização das distribuidoras da companhia.
A licitação deve ocorrer no primeiro trimestre de 2018 e envolve as concessionárias que atuam em Alagoas, Piauí, Acre, Roraima, Rondônia e Amazonas. De acordo com o texto, já divulgado na segunda pelo Broadcast (serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado), os contratos terão 30 anos de duração.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia