Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 06 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Tecnologia

Notícia da edição impressa de 07/11/2017. Alterada em 06/11 às 22h42min

Startups focam nas novas soluções

Cerca de 25% das jovens empresas estão investindo em Internet das Coisas (IoT)

Cerca de 25% das jovens empresas estão investindo em Internet das Coisas (IoT)


VISUALHUNT.COM /DIVULGAÇÃO/JC
As novas tecnologias estão, definitivamente, no radar das jovens empresas brasileiras. Existem atualmente no País 193 startups desenvolvendo produtos e serviços com base em tecnologias que irão impactar e revolucionar os modelos de negócios e sociedade no prazo de cinco a dez anos.
Desse total, 25% investem na área de Internet das Coisas (IoT), 20% em Big Data e Analytics e 10% em Realidade Aumentada. Já 9% das startups apostam no Blockchain e Criptomoedas. Drones, Cleantechs & Smart Cities e Inteligência Artificial ficam com 6%, 16% e 14%, respectivamente.
Os dados fazem parte do Liga Insights Emerging Technologies, primeiro estudo já realizado no Brasil sobre startups desta natureza, desenvolvido pela Liga Ventures - aceleradora especializada em gerar negócios entre startups e grandes empresas - em parceria com a Tivit e a Intel. Foram analisadas mais de 7,5 mil startups no País. O levantamento apresenta algumas tendências para os próximos anos, entre elas a evolução e aplicação da Internet das Coisas e da Inteligência Artificial no mercado.
"Essas inovações tecnológicas têm potencial para transformar a sociedade e os negócios em pouco tempo e serão essenciais nos próximos anos", analisa o CEO da Liga Ventures, Rogério Tamassia.
Os estados de Minas Gerais, São Paulo e Santa Catarina concentram juntos mais de 50% das iniciativas de tecnologias emergentes. Segundo o especialista, esses estados possuem polos tecnológicos que criam um ambiente favorável ao desenvolvimento de projetos de médio e longo prazos. "Os empreendedores estão buscando esses locais para desenvolverem suas ideias de negócios e potencializarem seu crescimento", acrescenta.
Considerando o número de startups por categoria, o Liga Insights Emerging Technologies mostra que a maioria das soluções está nas categorias de IoT e Big Data & Analytics. "As pessoas já começaram a usar as primeiras aplicações dessas tecnologias, que estão em uma fase de descoberta e amadurecimento, mas com um potencial de desenvolvimento muito promissor e cheio de novidades", observa Tamassia.
Muitos processos tradicionais serão revolucionados pelo uso destas tecnologias. As inovações serão usadas em políticas públicas como saúde e mobilidade devem causar uma verdadeira mudança na maneira de encarar e prever problemas", completa Raphael Augusto, responsável pelo Liga Insights.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia