Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 06 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

Aviação

Alterada em 06/11 às 12h48min

Demanda mundial por transporte aéreo de passageiros cresce 5,7% em setembro, diz Iata

O desempenho do período foi fortemente afetado pela ocorrência dos furacões Irma e Maria

O desempenho do período foi fortemente afetado pela ocorrência dos furacões Irma e Maria


ANTONIO SCORZA/AFP/JC
O tráfego aéreo de passageiros (RPK) avançou 5,7% em setembro ante igual mês do ano passado, a menor taxa de crescimento nesta base de comparação verificada desde fevereiro, informou a Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês). O desempenho do período foi fortemente afetado pela ocorrência dos furacões Irma e Maria, embora a tendência de alta do fluxo já viesse diminuindo, explica a entidade.
Ainda na comparação com setembro de 2016, a oferta (ASK) aumentou 5,3%, enquanto a taxa de aproveitamento dos voos subiu 0,3 ponto porcentual, para 81,6%, nível recorde para o mês de setembro.
"As condições econômicas globais têm sustentado a crescente demanda de passageiros, mas, com custos mais altos com insumos, o estímulo à demanda via tarifas mais baixas enfraqueceu, sugerindo tendência moderada de crescimento do indicador", diz o CEO da Iata, Alexandre de Juniac, em nota.
No recorte da América Latina, o desempenho das aéreas também foi afetado pelos furacões, com um aumento de 8,5% do tráfego de passageiros ante setembro de 2016. Com a oferta também crescendo à taxa de 8,5%, a taxa de aproveitamento se manteve em 82,2%, a segundo maior entre as regiões, diz a Iata.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia