Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 01 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 01/11 às 19h10min

Ibovespa tem 3ª queda seguida e perde os 74 mil pontos

O primeiro pregão de novembro foi marcado pela volatilidade no mercado brasileiro de ações, que seguiu principalmente influências externas. Nesta quarta-feira, dia da decisão de política monetária do Federal Reserve, o mercado manteve o foco no anúncio do nome do próximo presidente do BC norte-americano, confirmado para amanhã à tarde. O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou que escolherá "um grande nome" para o Fed e que as pessoas ficarão "impressionadas" com sua escolha, o que acabou por colocar uma dose extra de incerteza e cautela no cenário.
As declarações geraram especulações de que Trump estaria inclinado a um nome considerado "hawkish", como o diretor do Fed John Taylor. Esse temor acabou por ofuscar o tom aparentemente "dovish" sinalizado pelo Fed no anúncio que confirmou a manutenção das taxas básicas de juros dos EUA. No final dos negócios, o Índice Bovespa caiu 0,65%, aos 73.823,74 pontos, praticamente na mínima do dia, depois de ter subido até 1,20% pela manhã. Foi a terceira queda consecutiva do indicador, que acumula perda de 2,83% nesse período.
"A decisão do Fed já era uma bola cantada, mas as declarações de Trump trouxeram de volta o temor da escolha de um nome mais duro, o que seria muito ruim para os emergentes. E com o anúncio marcado justamente para um dia de feriado no Brasil, os investidores preferiram evitar o risco", disse Vladimir Pinto, gestor de renda variável da Grand Prix Asset.
A fraqueza do mercado de ações nos últimos dias chama a atenção dos profissionais do mercado. Nos últimos dias, causam certa surpresa as quedas de determinadas ações após a divulgação de balanços trimestrais positivos. É o caso dos papéis do Itaú Unibanco e do Bradesco. As ações preferenciais do Bradesco caíram 3,11% hoje, após anúncio de lucro líquido de R$ 4,810 bilhões no terceiro trimestre, com alta de 7,8% em relação ao mesmo período de 2016.
Entre as ações que compõem o Ibovespa, as maiores quedas ficaram o Eletrobras ON e PN, que recuaram 6,08% e 5,90%, refletindo dúvidas do mercado quanto à possibilidade de atraso no cronograma de privatização da companhia.
As ações da Vale e da Petrobras foram importante contraponto às quedas da bolsa. No mercado à vista chinês, o minério de ferro teve valorização de 1,42%, para R$ 59,35 a tonelada seca em Quinqdao. A valorização favoreceu as ações ordinárias da Vale, que fecharam com alta de 2,24%. Já os preços do petróleo perderam fôlego à tarde e passaram a cair, mas não impediram Petrobras ON e PN de avançarem 0,69% e 0,78%, respectivamente. A petroleira anunciou hoje reajuste de 6,5% nos preços do GLP industrial.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia