Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 23 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Frases e Personagens

Notícia da edição impressa de 24/11/2017. Alterada em 23/11 às 21h45min

Frases e personagens

Pedro Ruas

Pedro Ruas


MARCELO BERTANI/AGÊNCIA ALRS/JC
"O governo deve retirar os projetos que estão na Assembleia porque lhe foi negada a possibilidade de negociar com vistas à recuperação fiscal. São temas de grande relevância que irão apenas acirrar ânimos, sem necessidade, visto que os propósitos do governo estadual não são os mesmos do federal." Pedro Ruas (PSOL), deputado estadual.
"Agora, com a negativa do Tesouro Nacional, está provado que o parcelamento dos salários foi a maneira que este governo encontrou para justificar a venda do patrimônio dos gaúchos." Helenir Aguiar Schürer, presidente do Cpers.
"Em um cenário sem a aprovação da reforma da Previdência, o cumprimento do teto dos gastos seria muito difícil em 2019 e impossível em 2020. Com teto e sem reforma, só existe governo para pagar aposentadorias." Mario Mesquita, economista-chefe do Itaú Unibanco.
"A Justiça do Trabalho (JT) consome 44% do total do gasto da Justiça Federal, custando R$ 8 bilhões a mais. Talvez, no futuro, a gente não tenha mais 2,3 milhões de novas ações por ano. Talvez a gente não precise mais de 5 mil juízes na JT e talvez esses R$ 8 bilhões possam ser investidos na sociedade brasileira, em educação e saúde." Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara dos Deputados.
"Eram leis que, em tese, protegiam, protegiam, protegiam e deixaram o Brasil com 14 milhões de desempregados e mais milhões e milhões de empregos precários. Essa é a realidade da antiga lei trabalhista, que algum avanço conseguimos fazer na Câmara dos Deputados no ano de 2017." Também Rodrigo Maia.
"A reforma ministerial articulada pelo presidente Michel Temer (PMDB) e o enxugamento do texto da proposta não são suficientes para garantir a aprovação da reforma da Previdência na Câmara." José Rocha (PR-BA), deputado federal.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia