Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 26 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Empresas & Negócios

COMENTAR | CORRIGIR

Opinião

Notícia da edição impressa de 27/11/2017. Alterada em 24/11 às 18h09min

Um novo momento para a construção a seco

Luana Carregari
Tivemos, recentemente, a oportunidade de proporcionar a troca de experiências e boas práticas reunindo profissionais, construtoras, academia, entidades de classe, órgãos regulamentadores e a indústria no 1º Encontro Regional de Construção a Seco. Criamos espaço para um diálogo com alinhamento técnico e político. Percorremos o Brasil ao longo deste ano. Não foi uma tarefa fácil, pois o Brasil ainda vive um momento de retenção em investimentos e, mesmo assim, a indústria acredita nesse projeto.
Conseguimos colocar na pauta de mais de mil profissionais o sistema construtivo chamado Light Steel Framing, também popularizado como "construção a seco", ainda com amplo espaço para crescimento no Brasil.
A tecnologia é adaptável para residências que vão desde linhas populares até casas de alto padrão. O conceito permite uma transferência de local de trabalho importante, do ponto de vista de segurança no trabalho. A estimativa é que consiga-se reduzir em até cinco vezes o número de operários no canteiro de obras, transferindo a mão de obra para a fábrica, onde é possível um controle e segurança muito maior. Acreditamos que os debates permitem contribuir, de fato, com informações que promovem mudanças e auxiliam no salto tecnológico da construção civil.
Diretora do Encontro Regional de Construção a Seco
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia