Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 26 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Empresas & Negócios

COMENTAR | CORRIGIR

opinião

Notícia da edição impressa de 27/11/2017. Alterada em 24/11 às 18h08min

Gestão do tempo - um desafio na virada do ano!

ARQUIVO PESSOAL/DIVULGAÇÃO/JC
Laura Maria Gluer
O tempo é uma variável preciosa para os empreendedores. Ter tempo para prospectar, atender e fidelizar clientes, cuidar das finanças da empresa, dar atenção para sua equipe, selecionar fornecedores e, ainda, planejar o crescimento do seu negócio é uma equação difícil de resolver nos dias de hoje.
A impressão que se tem é que o dia precisaria ter mais horas e que o tempo deveria ser elástico. A sensação de que o tempo encurtou é real. Se estendermos a equação do tempo para a nossa vida pessoal, a coisa complica mais ainda. Família, saúde, lazer, amigos, estudos, tudo divide as mesmas 24 horas do dia.
No entanto viver reclamando do tempo não vai trazer mais tempo para o empreendedor. Pelo contrário, dispende energia e horas que são preciosas. A melhor coisa a fazer é aprender a gerenciar o tempo.
Não há "fórmula mágica" para uma gestão eficaz do tempo. Mas há algumas técnicas, e elas podem ser aprendidas. Planejar o dia, ter agenda e delimitar espaços para o início e o fim dos compromissos são algumas técnicas simples. Foco naquilo que é prioritário e atendimento das urgências realmente importantes são técnicas que exigem um olhar mais estratégico, mas, quando incorporadas, mudam a relação do empreendedor com o seu tempo e o tempo dos outros.
Um dos grandes desafios é saber dimensionar o tempo para cada atividade. Qual o tempo necessário para uma reunião produtiva com a equipe? Será que a reunião é necessária ou um e-mail resolveria? Quanto tempo dispender diariamente na prospecção de novos negócios? Qual o tempo máximo que e-mails, aplicativos e telefonemas podem tomar do meu dia?
Dimensionar o tempo, a partir do nosso autoconhecimento e da prática de cada uma destas atividades, ajudará a marcar a quantidade de minutos e horas na agenda para cada compromisso, sem excessos, mas guardando uma "reserva técnica" para os imprevistos. O exercício do check list ajuda a revisitar o que deu certo e o que precisa ser remanejado para o dia ou semana seguinte.
Saber administrar melhor o tempo não significa controlar cada segundo das 24h do dia. Mas organizar a rotina de forma a dar equilíbrio aos múltiplos papéis do empreendedor, na tentativa, erro e acerto, aprendendo sempre, um dia de cada vez.
As técnicas não valerão nada se não for feita a escolha individual de querer fazer o relógio funcionar a seu favor, por mais acelerado que ele esteja. Procrastinar uma tarefa por meses ou ser perfeccionista demais e nunca encerrar uma demanda são atitudes que podem fazer a pessoa desperdiçar um tempo precioso de sua vida.
A flexibilidade de horários do empreendedor também pode ser uma "faca de dois gumes" na gestão do tempo. Ao mesmo tempo em que permite pequenas pausas e saídas para outros interesses, exige foco no negócio, que só vai crescer com a atenção do dono.
Por outro lado, não é perder tempo reservar espaço na agenda para o lazer ou mesmo para o ócio. Pelo contrário, este tempo, quando bem aplicado, alimenta a criatividade, traz insights para o negócio e impulsiona a capacidade de usar melhor o tempo produtivo.
O tempo precisa ser bem dosado para não virar um veneno nas nossas vidas. As técnicas podem ser exercitadas, mas é muito mais a força de vontade que vale. Agora em novembro, quase Natal, muitos empreendedores entram em uma espécie de "surto de final de ano", porque não conseguiram cumprir totalmente suas metas, principalmente em tempos de crise. Para estes, em especial, a dica é fazer uma análise criteriosa do que ainda é possível fazer, dimensionando o tempo para cada atividade e repactuando o que tiver de atravessar 2018. Mas sem procrastinar, é claro.
Não deixar o tempo escapar e fazer do tempo um instrumento de transformação e avanço constantes são premissas fundamentais para o sucesso de um negócio. Empreendedores precisam se qualificar para enfrentar essa relação com o tempo de forma positiva e saudável, para a sustentabilidade do negócio e para seu próprio equilíbrio pessoal.
 Jornalista, especialista em Comunicação Organizacional, doutora em Comunicação
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia