Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 30 de outubro de 2017.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Prefeitura de Porto Alegre

Notícia da edição impressa de 31/10/2017. Alterada em 30/10 às 21h53min

Executivo faz reunião para discutir projetos enviados ao Legislativo

O Executivo municipal formalizou ontem a criação de dois Grupos de Trabalho (GTs) para discutir dois projetos de emenda à Lei Orgânica do Município, referentes ao Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) e ao regime de horas do funcionalismo municipal. A intenção da prefeitura é realizar uma primeira reunião, às 10h de amanhã, ainda sem local definido.
O primeiro GT diz respeito ao projeto nº 10/2017, que tramita na Câmara de Porto Alegre e prevê a abertura da execução dos serviços de água e esgoto da cidade, atual função do Dmae, a empresas privadas. O segundo GT irá discutir o projeto que determina a contratação de servidores do município no regime de 40 horas semanais, alterando a previsão obrigatória de contratação por 30 horas semanais. Por parte da prefeitura, os grupos de trabalho terão a participação de integrantes das secretarias municipais de Parcerias Estratégicas, Infraestrutura e Mobilidade Urbana, Serviços Urbanos e a Procuradoria-Geral do Estado. Segundo o site da prefeitura, os GTs visam trazer à discussão "vereadores e a sociedade".
Na quinta-feira passada, a prefeitura respondeu ofício do Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (Simpa) - que comunicava a continuidade da greve dos servidores - informando que, se o movimento grevista reconsiderar o acordo apresentado pelo prefeito Nelson Marchezan Júnior (PSDB) na semana passada, já iniciaria as conversações nesta quarta-feira. Marchezan havia sugerido ao Simpa o fim da greve, em troca da não votação dos projetos por um prazo de 40 dias.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia