Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 26 de outubro de 2017.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Câmara dos Deputados

Notícia da edição impressa de 27/10/2017. Alterada em 26/10 às 22h02min

'No fim, a verdade venceu', comemora Temer

Para Michel Temer, apesar das denúncias, a normalidade do país não foi afetada

Para Michel Temer, apesar das denúncias, a normalidade do país não foi afetada


VALTER CAMPANATO/AGÊNCIA BRASIL/JC
Um dia depois do arquivamento da denúncia por organização criminosa, apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o presidente Michel Temer e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria de Governo), todos do PMDB, Temer publicou vídeo no Twitter no qual afirma que o Brasil "ficou ainda mais forte depois de ter suas instituições testadas de forma dramática nos últimos meses". O presidente responde ainda por obstrução à Justiça.
"No fim, a verdade venceu", comemorou o presidente. Depois de salvar seu mandato barrando o prosseguimento de uma segunda denúncia criminal na Câmara dos Deputados, o presidente Michel Temer disse, nesta quinta-feira, 26, que o País não parou diante do que chamou de "suposta crise política". 
O placar favorável ao arquivamento foi menor que o contabilizado na votação da primeira denúncia, o que demonstra uma base com menos aliados ao governo. Na votação desta quarta-feira, Temer conseguiu 251 votos favoráveis, 12 a menos que na análise da primeira denúncia. Nesse cenário, o presidente pode ter dificuldades em aprovar propostas que dependam de quórum qualificado.
Apesar das duas denúncias que enfrentou e que paralisaram o governo, Temer disse que a normalidade do País não foi afetada e que, agora, se fortaleceu.
"A normalidade do país nunca foi afetada e agora prossegue ainda mais forte. O presidente disse que pretende fazer mais pelo País com a ajuda do Congresso e, um dia depois da vitória no plenário da Câmara, disse querer "até aproveitar para agradecer" aos parlamentares que lhe concederam placar favorável.
"Quero até aproveitar para agradecer às deputadas e deputados que na votação de ontem (quarta-feira) reafirmaram o compromisso comigo e com o nosso governo", diz o presidente no vídeo.
"A todos que mantêm a fé no Brasil, a hora é agora. É hora de transformar o País e superar nossos desafios. Agora é avançar", acrescentou.
O presidente avalia que é hora de "ter foco no que interessa ao nosso povo". No vídeo, Temer aproveita para citar conquistas do setor econômico. Para ele, a melhora do setor promove a reabertura de postos de trabalho, abre espaço para novos investidores, e aumenta o poder de consumo das famílias brasileiras.
"A perseverança derrotou o medo. Meu compromisso é fazer nosso País respeitado no cenário internacional, confiável nas relações comerciais, com credibilidade para atrair investidores nacionais e estrangeiros", exaltou Temer.
Temer chegou por volta das 12h desta quinta-feira ao Palácio do Planalto e, mesmo depois da obstrução urológica constatada na tarde de quarta-feira, manteve os compromissos oficiais previstos para esta quinta-feira.
Apesar das recomendações médicas para se manter em repouso, assessores do peemedebista afirmaram que o presidente acordou bem na manhã de quinta-feira e decidiu preservar a agenda de compromissos para esta quinta-feira. 
 

Presidente vai a São Paulo tirar sonda e fazer novos exames após apelos de seu médico

Após os apelos do médico Roberto Kalil, que cuida da saúde de Michel Temer, o presidente deve ir para São Paulo, neste sábado, passar por novos exames e tirar a sonda que colocou na quarta-feira no Hospital do Exército em Brasília, para desobstruir a uretra. Kalil é diretor do Hospital Sírio Libanês, na capital paulista, onde Temer se trata. O presidente foi internado depois de desconforto e dificuldade de urinar.
Na quarta-feira, por volta das 13h, Temer desceu sozinho para o anexo do Palácio do Planalto, onde fica o serviço médico, e tomou quatro copos d'água para tentar urinar, mas não conseguiu. Diante disso, os médicos do Planalto o aconselharam a ir para o hospital.
Temer passou mais de sete horas no hospital, onde fez exames e colocou uma sonda para desobstruir a uretra. Ele teve alta na quarta-feira e foi para o Palácio do Jaburu, onde mora com a primeira-dama, Marcela Temer.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia