Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 25 de outubro de 2017.

Jornal do Comércio

Política

CORRIGIR

Partidos

Alterada em 25/10 às 17h13min

Aécio recusa renúncia e faz apelo para ficar na presidência do PSDB até dezembro

Há uma semana, senador foi enquadrado por líderes do partido a abdicar da presidência da legenda

Há uma semana, senador foi enquadrado por líderes do partido a abdicar da presidência da legenda


YASUYOSHI CHIBA/AFP/ARQUIVO/JC
O senador Aécio Neves (PSDB-MG), presidente licenciado do PSDB, fez um apelo para permanecer no comando do partido até dezembro, quando os tucanos vão eleger uma chapa para a Executiva Nacional e o novo presidente. O pedido do senador mineiro foi feito ao senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), em conversa entre os dois líderes nesta quarta-feira (25). Jereissati é o presidente interino do partido e tem pressionado o colega a abandonar o posto no PSDB. No encontro, Aécio se recusou a renunciar.
"Aécio acha que é um ponto importante para ele ficar na presidência até a convenção de dezembro. Ele alega que a renúncia definitiva seria quase uma confissão de culpa, mas garantiu que não pretende exercer nenhum tipo de atividade partidária, que vai para Minas trabalhar full time em dois pontos: sua defesa e reanimar sua base. Se ele não retoma sua base, seu futuro está em jogo", explicou Tasso após a conversa.
Há uma semana, Aécio foi enquadrado por Tasso e outros líderes do partido a abdicar do cargo de presidente da legenda. A pressão começou depois que o tucano retomou o mandato parlamentar com ajuda de 44 senadores, que barraram as medidas cautelares impostas pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Os magistrados haviam decidido pelo afastamento do político e determinado seu recolhimento domiciliar noturno.
Na reunião, Aécio também apelou para que Tasso continue como presidente interino do PSDB até que seja realizada a convenção nacional tucana, em 9 de dezembro. Questionado sobre o pedido, Tasso disse que vai "consultar as bases". "Aécio tomou a decisão dele. Eu vou tomar a minha. Estou consultando minhas bases e vou fazer o que for melhor para o partido", afirmou. Depois do encontro com Aécio Neves, Tasso se reuniu com alguns senadores e almoçou com 12 deputados alinhados com sua posição.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia