Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 25 de outubro de 2017.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

crise no planalto

25/10/2017 - 14h43min. Alterada em 25/10 às 14h52min

Maia abre nova sessão para tentar votar denúncia contra Temer na Câmara

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), encerrou a primeira sessão plenária desta quarta-feira (25), e abriu nova sessão por volta das 14h30 para tentar votar a denúncia contra o presidente Michel Temer e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência). Como uma nova sessão foi aberta, o antigo painel de presenças foi zerado e um novo painel foi aberto para deputados registrarem presença de novo.
Acompanhe a sessão ao vivo:
Maia teve de encerrar a primeira sessão sem começar a votação da denúncia, porque o governo não conseguiu mobilizar 342 deputados no plenário. Esse é o quórum mínimo exigido pelo regimento interno da Câmara para que a denúncia possa começar a ser votada Na sessão, o máximo de presenças registradas foi 320 parlamentares. A oposição, que reúne cerca de 120 deputados, estava no plenário, mas não registrou presença. O objetivo deles é tentar adiar a votação.
Governistas chegaram a apresentar um requerimento de adiamento de votação, para tentar obrigar a oposição a registrar presença. Isso porque, caso não registrassem presença para votar o requerimento, poderiam ter os salários descontados. Mesmo assim, a oposição não registrou presença e o requerimento foi rejeitado por 184 votos a 4.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia