Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 19 de outubro de 2017.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Câmara dos Deputados

Notícia da edição impressa de 20/10/2017. Alterada em 19/10 às 20h06min

'No meu tempo, isso se resolvia na bala', lembra deputado de Brasília

Uma briga entre dois deputados federais interrompeu, por cerca de cinco minutos, uma audiência conjunta das comissões de Cultura e de Segurança Pública, na Câmara dos Deputados, na tarde de quarta-feira. Glauber Braga (PSOL-RJ) e Delegado Éder Mauro (PSD-PA) quase se agrediram fisicamente, e precisaram ser separados. Ao final da confusão, o presidente da Comissão de Segurança, Alberto Fraga (DEM-DF), ironizou a briga: "Eu, no meu tempo, resolvia isso na bala. Agora, tem que ficar falando", afirmou.
A discussão ocorreu durante uma audiência para ouvir o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, sobre exposições realizadas em Porto Alegre e São Paulo. Minutos mais tarde, o próprio ministro discutiu com outro deputado, Givaldo Carimbão (PHS-AL), após ele ter insultado a sua mãe.
Na briga, Éder Mauro afirmou que a "esquerda está destruindo a família", enquanto Glauber Braga chamou o parlamentar de fascista. Eles tiveram que ser separados por outro deputados, entre eles o Pastor Eurico (PHS-PE), e por seguranças da Câmara.
"Não tenho um pingo de medo de ti. Nem de ti, nem de ninguém", desafiou Éder Mauro.
"Você vai me bater?", retrucou Braga.
"Experimente, que eu quero ver se você é homem", respondeu o deputado.
Depois de diversos minutos de discussão, Alberto Fraga começou a perder a paciência e disse que os parlamentares deveriam decidir se iriam "sair na porrada" ou fazer outra coisa, causando risos na comissão.
"Ou vocês saem na porrada, ou então decidem logo o que vão fazer. Esse negócio já está virando piada. Esse negócio está virando já piada aqui. Vocês estão interrompendo a audiência", reclamou Fraga.
O ministro da Cultura entrou na brincadeira e completou: "É o famoso: 'ou faz, ou sai de cima'", brincou. A discussão demorou mais alguns minutos, mas terminou quando Braga saiu da comissão, sob uma salva de palmas irônicas de outros deputados. A audiência foi retomada em seguida.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia