Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 18 de outubro de 2017.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Prefeitura de Porto Alegre

18/10/2017 - 17h39min. Alterada em 18/10 às 18h42min

Câmara rejeita pedido de impeachment de Marchezan

Pedido feito por dois taxistas foi rejeitados por 28 votos a 7

Pedido feito por dois taxistas foi rejeitados por 28 votos a 7


Leonardo Conturs/CMPA/Divulgação/JC
A Câmara Municipal de Porto Alegre rejeitou, na tarde desta quarta-feira (18), por 28 votos a 7, o pedido de impeachment do prefeito Nelson Marchezan Júnior (PSDB), apresentado por dois taxistas. Votaram pela admissibilidade do processo apenas os vereadores da oposição, composta pelas bancadas do PT e do PSOL.
No pedido, os taxistas acusavam o prefeito de não fiscalizar e aplicar a Lei 12.162, de 2016, que disciplina o transporte de passageiros por meio de aplicativos móveis.
Em nota, Marchezan afirmou que os parlamentares que votaram contra a admissibilidade deram “demonstração de responsabilidade” perante os porto-alegrenses. “O pedido não tinha sustentação técnica ou jurídica, o que foi amplamente esclarecido pela prefeitura, e tão somente tinha o objetivo de desgaste político”, afirma o comunicado.
O prefeito diz ainda que “seguirá trabalhando com máxima transparência e todo o empenho para enfrentar os desafios e entraves para que Porto Alegre recupere o patamar de equilíbrio financeiro e seja uma cidade próspera ao desenvolvimento social e econômico dos seus cidadãos”.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia