Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 09 de outubro de 2017. Atualizado às 23h01.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

operação lava jato

Notícia da edição impressa de 10/10/2017. Alterada em 09/10 às 22h55min

Juiz Sérgio Moro cobra recibos originais de Lula

O juiz Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato, quer que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) esclareça "expressamente" se dispõe dos recibos de aluguel originais do apartamento vizinho ao que mora em São Bernardo do Campo (SP) e os entregue, em caso afirmativo.
Na semana passada, o Ministério Público Federal questionou a veracidade de 26 recibos apresentados pela defesa do ex-presidente. O órgão pediu perícia dos documentos.
No despacho, Moro também pediu que a defesa de Lula esclareça se tem provas a requerer quanto ao caso.
Na denúncia, o Ministério Público Federal diz que Lula não pagou pela locação do imóvel, comprado pelo empresário Glaucos da Costamarques em 2010.
Segundo a acusação, Costamarques atuou como laranja na aquisição, que teria sido realizada com propina da Odebrecht, obtida por meio de contratos com a Petrobras.
A defesa do empresário apresentou petição afirmando que todos os recibos foram assinados no mesmo dia, em dezembro de 2015, quando estava internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.
Após visita de Roberto Teixeira, advogado e amigo do ex-presidente, o contador João Leite teria ido ao hospital recolher as assinaturas de Costamarques.
Moro pediu que o hospital informe o registro de visitantes do empresário no período, com ênfase em Teixeira e Leite.
Costamarques também já afirmou a Moro que só passou a receber os aluguéis do apartamento ao final de 2015.
Em audiência no dia 13 de setembro, o juiz havia demonstrado contrariedade com o fato de o petista não ter apresentado os recibos de aluguel desde a apresentação da denúncia, em dezembro de 2016.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia