Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 05 de outubro de 2017. Atualizado às 00h01.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

crise no planalto

Notícia da edição impressa de 05/10/2017. Alterada em 04/10 às 21h40min

Rodrigo Maia cita 'dificuldades' para barrar nova denúncia

Presidente da Câmara dos Deputados e primeiro nome na linha sucessória da presidência da República, Rodrigo Maia (DEM-RJ) disse em um jantar com deputados e senadores, na terça-feira, que o presidente Michel Temer (PMDB) deverá enfrentar "dificuldades" para barrar a denúncia que será analisada pela Câmara.
Segundo relatos de quatro participantes do encontro, Maia disse acreditar que Temer terá votos suficientes para derrubar a acusação da Procuradoria-Geral da República (PGR), mas apontou que o governo cometeu erros no relacionamento com aliados e encontrará no plenário um ambiente menos favorável.
O encontro foi organizado pela senadora Kátia Abreu (PMDB-TO), que recebeu para um jantar em sua casa senadores de oposição ao governo, como Renan Calheiros (PMDB-AL), Jorge Viana (PT-AC) e Vanessa Grazziotin (PC do B-AM), além de deputados da base aliada de Temer que são próximos de Maia. Os parlamentares fizeram críticas duras ao governo e chegaram a sugerir uma agenda que poderia ser colocada em prática por Maia caso a Câmara aprove o prosseguimento da denúncia, e Temer seja afastado do cargo.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia