Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 31 de outubro de 2017.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

terrorismo

Alterada em 31/10 às 21h45min

Responsável por 'ato de terror' em Nova Iorque é identificado como Sayfullo Saipov

O Departamento de Polícia de Nova Iorque afirmou que o motorista que avançou uma caminhonete contra ciclista e pedestres no sul de Manhattan gritou Allahu akbar (Alá é o maior) quando saiu do veículo armado com dois repórteres. A rede de TV ABC noticiou, por fontes, que o motorista é Sayfullo Saipov, natural do Usbequistão.
O "ato de terror", nas palavras do prefeito da cidade, Bill De Blasio, aconteceu poucas horas antes de nova-iorquinos ocuparem as ruas da cidade na tradicional celebração de Halloween. O principal evento seria um desfile no West Village, região próxima do local do ataque. De Blasio pediu que a população fosse "vigilante" e comunicasse às autoridades se visse algo suspeito. Segundo ele, haveria mais policiais nas ruas a partir da noite de ontem.
O grupo extremista Estado Islâmico estimula que seus seguidores atuem como lobos solitários com os instrumentos que tiverem à sua disposição. Apoiadores do grupo comemoraram o "ato de terror", apesar do EI não ter assumido, até o momento, a autoria do ataque. Apesar disso, o presidente americano, Donald Trump, utilizou seu perfil no Twitter para dizer que "não devemos permitir que o Estados Islâmico retorne ou entre em nosso país após derrotarmos eles no Oriente Médio e em outros lugares. Basta!". Ele também disse que seus pensamentos, condolências e orações estão com as vítimas e os familiares.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia