Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 23 de outubro de 2017.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Segurança pública

Notícia da edição impressa de 24/10/2017. Alterada em 23/10 às 21h48min

Gravataí terá reforço no policiamento após ataque

O titular da Secretaria de Segurança Pública (SSP), Cezar Schirmer, anunciou que o 1º Batalhão de Operações Especiais (BOE) da Brigada Militar (BM) será enviado para reforçar o policiamento ostensivo em Gravataí. A medida foi definida após reunião da SSP com o prefeito do município, Marco Alba, e do Ministério Público do Rio Grande do Sul. O prefeito havia solicitado, ontem, que o governo do Estado destinasse tropas da Força Nacional para auxiliar no combate à violência urbana na cidade da Região Metropolitana.
O apelo de Marco Alba ocorreu após um ataque a tiros no fim de semana, nas proximidades de uma festa no bairro Morada do Vale II, deixar dois mortos e 33 feridos. Pelo menos quatro homens teriam chegado em dois veículos e aberto fogo contra pessoas que estavam do lado de fora do local. Até o fechamento desta edição, a Polícia Civil ainda não tinha identificado nenhum suspeito.
Conforme a SSP, a liberação da Força Nacional depende de autorização do Ministério da Justiça, já que os agentes exercem atividades ligadas ao Plano Nacional de Segurança Pública. Como as tropas estão vinculadas a ações em Porto Alegre, uma das cidades-piloto do plano, não é possível fazer a transferência a outro município.
Além da presença do BOE, seis agentes do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa da Polícia Civil devem oferecer apoio nas ações de investigação em Gravataí. A Divisão de Apoio Aéreo também deve auxiliar. Desde setembro, uma força-tarefa envolvendo BM e Polícia Civil já atua no município. A medida foi tomada depois de a cidade registrar, em setembro, 24 homicídios. Desde o início do ano, já são 147.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia