Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 20 de outubro de 2017.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Clima

20/10/2017 - 14h36min. Alterada em 20/10 às 14h37min

Com 48 municípios já atingidos, final de semana pode ter novas tempestades no RS

Queda de árvores e postes de energia estão entre problemas mais registrados pela Defesa Civil

Queda de árvores e postes de energia estão entre problemas mais registrados pela Defesa Civil


DEFESA CIVIL RS/DIVULGAÇÃO/JC
As tempestades que atingiram o Rio Grande do Sul nos últimos dias ainda causam danos em pelo menos 48 cidades gaúchas. Ao todo, há 3.746 residências atingidas e três famílias desabrigadas no Estado em função das adversidades meteorológicas, de acordo com o último boletim divulgado pela Defesa Civil-RS.
A maioria dos municípios afetados se concentra nas regiões de Frederico Westphalen, Lajeado, Santa Maria, Santo Ângelo e Uruguaiana. Os problemas mais frequentes são o destelhamento de casas, a queda de árvores e postes de energia e a falta de energia elétrica. Em São Francisco de Assis, na região da Campanha, 900 residências e um hospital foram atingidos.
De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), durante esta sexta-feira (20) até a manhã de sábado (21), as condições meteorológicas são favoráveis à ocorrência de chuva, que pode ser forte e acompanhada de trovoadas e queda de granizo, com rajadas de vento variando entre 60 e 90km/h nas regiões do Noroeste, Norte e Nordeste do Rio Grande do Sul e nos demais estados do Sul.
O Climatempo alerta também para a ocorrência de rajadas de vento entre 70 e 110 km/h, associadas a passagem de nuvens cumulonimbus, pressão atmosférica baixa e também a formação de um ciclone extratropical entre o sábado e o domingo. A Defesa Civil segue auxiliando órgãos de segurança das localidades atingidas e pode ser acionada pelo telefone 199.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia