Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 17 de outubro de 2017. Atualizado às 10h51.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

protestos

17/10/2017 - 09h13min. Alterada em 17/10 às 11h53min

Professores bloqueiam entrada do prédio da Sefaz em Porto Alegre

Durante o ato, professores colocaram cadeados nas portas da secretaria

Durante o ato, professores colocaram cadeados nas portas da secretaria


MARCELO G. RIBEIRO/JC
Professores ligados ao Sindicatos dos Professores do Rio Grande do Sul (Cpers) bloquearam na manhã desta terça-feira (17) o acesso ao prédio da Secretaria Estadual da Fazenda, no Centro Histórico de Porto Alegre. A categoria, que está em greve desde o dia 5 de setembro, protesta contra o parcelamento dos salários pelo governo de José Ivo Sartori.
Os professores pedem uma audiência com o governo, com a presença do secretário da Fazenda, Giovani Feltes. Durante o ato, eles colocaram cadeados nas portas da secretaria. A tropa de choque e a cavalaria da Brigada Militar acompanham a manifestação. No final da manhã, o governo confirmou uma reunião com o sindicato as 12h30min de hoje, na Seduc.
{'nm_midia_inter_thumb1':'http://jcrs.uol.com.br/_midias/jpg/2017/10/17/206x137/1_mgr171017ceprs_sefaz054-1655722.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'59e5ec251397c', 'cd_midia':1655722, 'ds_midia_link': 'http://jcrs.uol.com.br/_midias/jpg/2017/10/17/mgr171017ceprs_sefaz054-1655722.jpg', 'ds_midia': 'Professores e sindicalistas do CPERS em protesto contra o governo estadual barram a entrada de funcionários e servidores da SEFAZ', 'ds_midia_credi': 'MARCELO G. RIBEIRO/JC', 'ds_midia_titlo': 'Professores e sindicalistas do CPERS em protesto contra o governo estadual barram a entrada de funcionários e servidores da SEFAZ', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '533', 'align': 'Left'}
A tropa de choque e a cavalaria da Brigada Militar acompanham a manifestação. Foto Marcelo G. Ribeiro/JC
Na semana passada, uma audiência entre o sindicato e o governo terminou sem avanços e a greve foi mantida. O Cpers alega que o Estado não está priorizando o pagamento do funcionalismo. A adesão, atualmente, de acordo com o sindicato, é de 65% da categoria.

Protesto "não faz brotar dinheiro'', diz nota Sefaz

Em reação ao ato dos professores na manhã desta terça, a Secretaria da Fazenda do Rio Grande do Sul (Sefaz) emitiu nota oficial afirmando que o protesto da categoria "não faz brotar dinheiro" e que causa transtornos aos servidores e aos contribuintes.
O posicionamento ainda diz que hoje a Secretaria "faria um grande esforço para pagar as consignações (empréstimos dos próprios servidores) e repassar R$ 50 milhões para hospitais (decisões judiciais pendentes desde a virada do mês)", mas que, com as portas do local trancadas, "não haverá condições para tanto".
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia