Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 21 de outubro de 2017.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

república tcheca

21/10/2017 - 17h52min. Alterada em 21/10 às 17h55min

Bilionário populista e eurocético deve ser novo premiê da República Tcheca

Andrej Babis durante o discurso do ANO em Praga

Andrej Babis durante o discurso do ANO em Praga


MICHAL CIZEK/AFP/JC
O movimento populista Aliança dos Cidadãos Descontentes (ANO, na sigla em tcheco), liderado pelo bilionário Andrej Babis, venceu uma decisiva eleição parlamentar na República Tcheca neste sábado (21), um resultado que pavimenta o caminho para que eurocéticos assumam o poder do país.
Com 99,6% das urnas apuradas, a coligação ANO obteve 29,7% dos votos. Uma vez que o presidente do país costuma convocar o líder do partido mais representativo do Parlamento para formar o novo governo, Babis deve ser escolhido como novo primeiro-ministro.
Ainda que se assuma como centrista, o ANO é uma união de diversos movimentos que rejeitam o sistema de redistribuição de cotas para refugiados. Babis é crítico da União Europeia e se opõe a definir uma data para adoção do euro.
Em um golpe contra a tradicional elite política do país, quatro dos cinco principais partidos que receberam votos neste sábado questionavam a ordem tradicional. Alguns exploravam o medo com a imigração e o Islã, bem como o ataque a membros da União Europeia e da Organização Tratado do Atlântico Norte.
De acordo com os resultados, a coligação conservadora de oposição Democratas Civis ficou em segundo lugar, com 11,3%. O Partido Pirata, que obteve 10,8% dos votos, vai ter assentos no Congresso pela primeira vez. Já o de extrema-direita Liberdade e Democracia Direta teve 10,7%. Os sociais-democratas, no poder desde 2013, somaram apenas 7,7% dos votos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia