Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 30 de outubro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

telecomunicações

Alterada em 30/10 às 17h23min

Ouro sobe com fraqueza do dólar no exterior

Os contratos futuros de ouro encerraram o pregão desta segunda-feira em alta, em movimento oposto ao dólar nos mercados internacionais.
A moeda americana se enfraqueceu no pregão por causa da sucessão da presidência do Federal Reserve (Fed, o banco central do país) e a crise política em Washington.
Desde o final da semana passada, o nome do diretor do Fed Jerome Powell para a chefia da instituição disparou nos sites de apostas. Ele é considerado da mesma linha que a atual presidente, Janet Yellen, inclinada a um ritmo mais suave de aumento de juros. Com taxas mais baixas por um tempo mais longo, o dólar perdeu força.
Ao mesmo tempo, houve a procura por segurança devido ao mais recente turbilhão na política americana. Nesta manhã, o ex-diretor da campanha dele em 2016, Paul Manafort, se entregou à Justiça após ser acusado de tramar um conluio com autoridades da Rússia. Há o temor de que a crise inviabilize o apoio do presidente no Congresso, que será responsável pela votação das ousadas medidas econômicas.
Desta forma, o ouro se valorizou. Na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o ouro com entrega em dezembro fechou em alta de 0,46%, aos US$ 1.277,70 por onça-troy.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia