Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 25 de outubro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado de Capitais

Notícia da edição impressa de 26/10/2017. Alterada em 25/10 às 23h05min

Dólar cai com votação de denúncia de Temer; Ibovespa sobe 0,42%

.
/.
O dólar reduziu as perdas ante o real ontem, diante da falta de quórum durante a maior parte do tempo para a votação da segunda denúncia contra o presidente Michel Temer no plenário da Câmara, o que poderia atrapalhar no encaminhamento da reforma da Previdência. A moeda norte-americana chegou a avançar até o patamar dos R$ 3,26 com a notícia da internação do presidente, mas acabou retornando para o território negativo, onde prevaleceu leve correção, após cinco pregões consecutivos de alta. Minutos antes de fechar o mercado de câmbio, o quórum para a votação foi atingido.
No mercado à vista, o dólar fechou em baixa de 0,38%, aos R$ 3,2386. O giro financeiro somou US$ 962 milhões. No mercado futuro, o dólar para novembro caiu 0,37%, aos R$ 3,2355. O giro financeiro na sessão somou US$ 25,51 bilhões.
A movimentação política intensa e tumultuada de ontem teve influência limitada sobre os negócios no mercado acionário brasileiro, mas decisiva. À espera de importantes definições do cenário doméstico, o investidor operou por quase todo o dia alinhado ao humor externo, onde o viés foi negativo. O Ibovespa, que operou em baixa durante quase toda a tarde, inverteu o sinal na última hora de negócios e fechou com ganho de 0,42%, aos 76.671 pontos. Os negócios somaram R$ 8,714 bilhões.
No final dos negócios, Petrobras ON e PN tiveram altas de 1,01% e 1,27%, respectivamente. Entre os bancos, destaque para Banco do Brasil ON ( 1,62%), units do Santander ( 1,35%) e B3 ON ( 3,06%).
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia