Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 25 de outubro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

Aviação

Alterada em 25/10 às 10h21min

Embraer recebe da Força Aérea Americana pedido de seis A-29 Super Tucano

A Embraer informou que a divisão de Defesa & Segurança e sua parceira Sierra Nevada Corporation (SNC) receberam da Força Aérea Americana o pedido de seis aeronaves A-29 Super Tucano para o Programa A-29 no Afeganistão, que se somarão à frota atual de 20 unidades.
De acordo com a empresa, as novas aeronaves começarão a ser produzidas imediatamente em Jacksonville, na Flórida.
No programa do Afeganistão, o A-29 tem sido utilizado, desde o início de 2016, para realizar missões de treinamento avançado em voo, reconhecimento aéreo e outras operações.
Segundo a Embraer, a habilidade da aeronave de operar em terrenos acidentados, climas extremos e localizações austeras com pouco apoio operacional e de manutenção resultou em operações bem-sucedidas em pelo menos quatro bases naquele país.
"Acreditamos que essa decisão demonstra que o A-29 Super Tucano é a melhor aeronave para operações de apoio aéreo tático, como também a solução comprovadamente mais confiável e econômica para cenários de contrainsurgência e de guerras não convencionais", afirma Jackson Schneider, presidente e CEO da Embraer Defesa & Segurança, em nota.
A Embraer lembra ainda que o A-29 Super Tucano já foi selecionado por 13 forças aéreas ao redor do mundo, e destaca que a aeronave é a única aeronave de seu segmento com a certificação militar da Força Aérea americana (USAF, na sigla em inglês).
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia