Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 24 de outubro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Consumo

Notícia da edição impressa de 25/10/2017. Alterada em 24/10 às 20h49min

Consumidores esperam inflação de 6,4% em 12 meses a partir de outubro

A mediana da inflação esperada pelos consumidores nos próximos 12 meses ficou em 6,4% em outubro, um recuo de 0,3 ponto percentual em relação ao resultado de 6,7% registrado em setembro, informou ontem a Fundação Getulio Vargas (FGV), que divulgou o Indicador de Expectativa de Inflação dos Consumidores. No mesmo período no ano passado, o indicador teve uma queda de 2,7 pontos percentuais.
"A expectativa de inflação dos consumidores voltou a cair. Tal fato era esperado, na medida em que a inflação efetiva acumulada e a inflação esperada pelo mercado continuam em queda", avaliou o economista Pedro Costa Ferreira, do Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre/FGV), em nota oficial.
Em outubro, houve forte aumento da frequência de respostas abaixo do limite inferior da meta do Banco Central: a parcela dos que projetaram inflação abaixo de 3% saltou de 10,7% em setembro para 16,5% em outubro. Ao mesmo tempo, a proporção de consumidores projetando inflação abaixo da meta de 4,5% cresceu de 32,6% para 38,6% do total.
A inflação mediana esperada pelos consumidores recuou em três das quatro faixas de renda. O principal impacto para a redução do indicador em outubro foi das avaliações das famílias com renda entre R$ 2.100,01 e R$ 4.800,00, cuja expectativa diminuiu 1,1 ponto em relação a setembro. Os consumidores de menor poder aquisitivo, com renda familiar até R$ 2.100 mensais, elevaram suas projeções para a inflação de 8,2% em setembro para 8,4% em outubro.
O Indicador de Expectativa de Inflação dos Consumidores é obtido com base em informações da Sondagem do Consumidor, que ouve mensalmente mais de 2,1 mil brasileiros em sete das principais capitais do País.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia