Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 24 de outubro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 24/10 às 08h01min

Em meio a fim de reunião na China, bolsas asiáticas fecham sem direção única

As bolsas asiáticas fecharam sem direção única e com variações majoritariamente modestas nesta terça-feira (24), em meio ao encerramento do 19º Congresso do Partido Comunista da China e na esteira do desempenho negativo ontem dos mercados de Nova Iorque, que vinham numa trajetória de recordes.
No fim da reunião da liderança chinesa, que é realizada a cada cinco anos e teve início no último dia 18, o Partido Comunista confirmou o status do presidente Xi Jinping como líder mais forte da China em décadas, ao fazer uma emenda na Constituição para incluir seu nome e ideologia.
"O povo e nação chineses têm um grande e brilhante futuro adiante", disse Xi a delegados do partido no encerramento do congresso. "Nesse ótimo momento, nos sentimos mais confiantes e orgulhosos. Ao mesmo tempo, sentimos profundamente um pesado senso de responsabilidade", acrescentou.
Principal índice acionário chinês, o Xangai Composto subiu 0,22% hoje, a 3.388,25 pontos, mas o menos abrangente Shenzhen Composto caiu 0,12%, a 2.009,65 pontos.
Investidores ainda aguardam detalhes sobre os novos líderes da China nos próximos cinco anos. Aparentemente, o chefe da campanha anticorrupção de Pequim, Wang Qishan, não permanecerá no cargo por um segundo mandato. O nome de Wang, que é um dos principais aliados de Xi, não aparece na lista de 376 autoridades selecionadas no congresso, segundo a mídia chinesa e fontes com conhecimento do assunto.
Já em Tóquio, a bolsa japonesa subiu pelo 16º pregão consecutivo, estabelecendo nova marca histórica. Ainda favorecido pela fácil vitória do governo do Japão na eleição parlamentar de domingo, o Nikkei avançou 0,50%, a 21.805,17 pontos, maior patamar em 21 anos.
Em outras partes da Ásia, o Hang Seng recuou 0,53% em Hong Kong, a 28.154,97 pontos, o sul-coreano Kospi teve alta marginal de 0,02% em Seul, a 2.490,49 pontos, o Taiex mostrou ligeiro ganho de 0,08% em Taiwan, a 10.743,78 pontos, e o filipino PSEi registrou queda de 0,82% em Manila, a 8.279,92 pontos.
Na Oceania, a bolsa australiana encerrou a sessão em leve alta. O S&P/ASX 200 subiu 0,06% em Sydney, a 5.897,60 pontos.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia