Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 22 de outubro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Gestão

Notícia da edição impressa de 23/10/2017. Alterada em 22/10 às 22h48min

Fórum Internacional de Administração será no dia 25

Cláudia diz que mulheres ocupam hoje 70% das cadeiras do curso

Cláudia diz que mulheres ocupam hoje 70% das cadeiras do curso


/MARCO QUINTANA/JC
Palestrantes nacionais e estrangeiros estarão reunidos na serra gaúcha debatendo, nesta semana, temas relacionados à gestão pública e privada. Com início no dia 25, o XV Fórum Internacional de Administração tem uma extensa grade de temas, abordando desde a tecnologia à responsabilidade social e ética, passando pela geopolítica atual e a valorização das mulheres na atividade elas já ocupam cerca de 70% das cadeiras nas salas de aula das faculdades de Administração.
"Essa virada da presença feminina nos curso de graduação ocorreu de uns de três anos para cá. Mulheres agregam muito à gestão, privada e pública. Pesquisas indicam que mulheres têm comportamento mais ético que os homens, o que tem feito falta no cenário político nacional", ressalta Cláudia Abreu, presidente do Conselho Regional de Administração (CRA-RS) desde janeiro.
O evento bienal, organizado em parceria com o Conselho Federal de Administração, terá palestrantes de Portugal (Domingos Fernandes e Miguel Trigo), do Canadá (Satish Bala) e da França (Corinne Eloi), entre outros nomes nacionais de referência no meio acadêmico e empresarial. Do Brasil, destaque para profissionais como Angela Terto, assessora de direito humanos do escritório local da ONU, e Karla Parra, especialista da Organização Internacional do Trabalho no País.
"Elas falarão sobre responsabilidade social e trabalho decente, um tema que, por coincidência, teve grande repercussão nos últimos dias com o retrocesso do decreto que o governo federal publicou sobre trabalho escravo no Brasil", diz Cláudia. O fórum deve reunir em Gramado, até o dia 28, cerca 700 pessoas, entre gestores, executivos, professores e estudantes. A programação completa pode ser acessada em www.fia2017.com.br.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia