Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 19 de outubro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

18/10/2017 - 18h52min. Alterada em 18/10 às 18h52min

Ibovespa tem sessão de recuperação e fecha em alta de 0,51%

Depois de duas sessões de baixas, o Índice Bovespa encontrou espaço para uma recuperação e fechou em alta de 0,51% nesta quarta-feira (18), aos 76.591,08 pontos. O pregão teve alguns momentos de volatilidade e o indicador chegou a cair levemente no início da tarde, em meio a influências de outros ativos e também dos vencimentos dos mercados futuro e de opções sobre o índice. O volume de negócios somou R$ 9,4 bilhões.
"A bolsa apresentou melhora hoje, corrigindo as baixas recentes. Para mim, o que se viu hoje foi um clássico movimento em busca de pechinchas", disse Raphael Figueredo, sócio e analista da Eleven Financial.
Um exemplo nítido de recuperação de perdas recentes foi o desempenho das ações do setor varejista. Os papéis tiveram ganhos expressivos hoje, depois de terem sido fortemente penalizados por temores da concorrência da Amazon, que iniciou hoje a venda de eletrônicos no Brasil. Entre as ações que compõem o Ibovespa, destacaram-se Lojas Renner ON (4,31%), Pão de Açúcar PN (+3,97%) e Lojas Americanas PN (+2,22%).
O bom desempenho das bolsas americanas e europeias foi pano de fundo importante para a recuperação das ações brasileiras, favorecendo o apetite por ativos de risco. O noticiário político doméstico permaneceu no radar do mercado, mas as movimentações no Congresso pouco influenciaram o ânimo do investidor. Durante todo o dia, seguiu em monitoramento a sessão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) para votação da segunda denúncia contra o presidente Michel Temer.
Para Luiz Roberto Monteiro, operador da Renascença Corretora, a votação no Senado que manteve Aécio Neves (PSDB-RJ) no cargo foi fator levemente positivo para o mercado. "A percepção é de que manutenção de Aécio fortalece o presidente Temer, que por sua vez fortalece a expectativa de avanço da reforma da Previdência", disse.
As ações do setor financeiro, bloco de maior peso na composição do Ibovespa, tiveram comportamentos distintos. Enquanto Itaú Unibanco PN teve alta de 0,18%, Bradesco PN caiu 0,44%. O Banco do Brasil, que hoje captou US$ 1 bilhão em bônus de sete anos, teve baixa de 0,35%. A Moody's atribuiu rating Ba2 à emissão.
Entre as ações sensíveis aos preços das commodities, Vale ON caiu 0,95%, em sintonia com a baixa do minério de ferro. Já a alta dos preços do petróleo favoreceu o ganho de 0,19% de Petrobras PN. Já Petrobras ON, preferida dos investidores estrangeiros, ficou estável.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Adir Valeria Bandeira Saab Vitta 19/10/2017 20h34min
O governo deveria empenhar-se em cobrar a dívida das grandes empresas, cuja auditoria realizada pela Procuradoria Geral da Fazenda Nacional apurou ultrapassar o triplo do valor do suposto déficit anunciado. Ao contrário, editou a Medida Provisória n. 803 em 29/09/2017, instituindo e regulamentando o REFIS, para beneficiar os sonegadores, concedendo-lhes perdão fiscal. Com isto, onerou os cofres públicos, pois deixou de arrecadar.