Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 05 de outubro de 2017. Atualizado às 22h55.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado de Capitais

Notícia da edição impressa de 06/10/2017. Alterada em 05/10 às 20h51min

Em sessão volátil, bolsa registra alta de apenas 0,03%

A bolsa brasileira foi da euforia à cautela nesta quinta-feira, o que trouxe volatilidade ao Índice Bovespa. Depois de ter subido até 1,87%, alcançado a marca histórica dos 78.024 pontos, o índice perdeu fôlego gradativamente ao longo da tarde e fechou praticamente estável, em alta de 0,03%, aos 76.617 pontos. Se pela manhã o mercado mostrou entusiasmo com sinais de evolução da economia, à tarde prevaleceram preocupações com a governabilidade do presidente Michel Temer.
O principal assunto da tarde foi a decisão da cúpula do PSDB de destituir o deputado Bonifácio de Andrada da vaga de suplente da CCJ da Câmara. A manobra busca desvencilhar o partido do relatório de Andrada, parlamentar da ala governista do partido que detém a relatoria da denúncia. A principal leitura do mercado é que a ala oposicionista do PSDB está ganhando força no racha do partido, o que prejudica o presidente Michel Temer.
Pela manhã, o mercado reagiu positivamente a dados como os da associação de fabricantes de veículos (Anfavea) que atestou a produção de 236,9 mil unidades em setembro. Outra repercussão positiva foi a decisão do Itaú de reduzir de 7,0% para 6,5% a previsão para a taxa Selic no final do ciclo de reduções.
Operadores das mesas de ações afirmaram que, na prática, o que houve durante a tarde foi um movimento de realização de lucros de curtíssimo prazo na bolsa. Somente na terça-feira, o Ibovespa havia subido 3,23%. No acumulado de uma semana até a máxima intraday desta quinta-feira, a valorização superava os 6%, o que teria motivado boa parte das ordens de venda.
O cenário internacional também teve influências positivas e negativas. Na volta do feriado na Ásia, o minério de ferro teve queda de 0,92% no mercado à vista chinês e favoreceu a queda de 1,04% de Vale ON. As ações do setor siderúrgico chegaram a exibir fôlego de alta após os dados da Anfavea, mas ao final cederam à realização. CSN ON caiu 2,14% e Gerdau PN, 2,55%. Em contrapartida, as altas firmes dos preços do petróleo levaram Petrobras ON e PN a ganhos de 1,59% e 1,53%, respectivamente. As ações do setor financeiro seguiram para lados distintos. Banco do Brasil ON subiu 1,63%, mas os papéis da B3 recuaram 1,36%.
xx
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia