Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 05 de outubro de 2017. Atualizado às 17h16.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

energia

05/10/2017 - 17h00min. Alterada em 05/10 às 17h20min

Itaipu deve aumentar produção em outubro para compensar escassez hídrica

Até a quarta-feira, foram produzidos por Itaipu 70 milhões de megawatts

Até a quarta-feira, foram produzidos por Itaipu 70 milhões de megawatts


ALEXANDRE MARCHETTI/ITAIPU BINACIONAL/DIVULGAÇÃO/JC
A Itaipu Binacional, empresa responsável pela usina de mesmo nome, indicou uma previsão de aumentar sua produção de energia elétrica em outubro, diante da hidrologia desfavorável. Se for confirmada, a geração da binacional ficará mais próxima à registrada no mesmo mês do ano passado, acrescentou.
"Com a melhora do desempenho, a usina poderá também ficar em 2017 no ranking dos cinco melhores anos de sua produção", declarou a empresa.
Até a quarta-feira, foram produzidos por Itaipu 70 milhões de megawatts (MWh), abaixo dos 78 milhões de MWh de janeiro a outubro do ano passado, quando Itaipu estabeleceu um novo recorde mundial anual de geração, com 103,1 milhões de MWh no ano. Além de 2016, destacam-se como os anos mais produtivos da usina 2013, com 98,63 milhões de MWh; 2012, com 98,28 milhões de MWh; 2008, com 94,68 milhões de Mwh; e 2000, com 93,42 milhões de MWh.
A empresa lembra que o aumento de produção de eletricidade por parte de Itaipu contribui para diminuir o despacho de usinas termoelétricas, em um momento de cenário de chuvas abaixo da média histórica no sistema nacional.
De acordo com o Operador Nacional do Sistema Elétrico, as afluências para o Sistema Interligado Nacional (SIN) devem ficar em 65% da média histórica em outubro. Com isso, a perspectiva é de redução do volume de água armazenado nos reservatórios do País, que já registram um baixo nível.
No Sudeste/Centro-Oeste, por exemplo, a Energia Armazenada atual está em 23,33% da capacidade, enquanto no Sul o indicador alcança 35,77%, mas no Nordeste não passa dos 8,58% e no Norte fica em 30,42%.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia