Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 05 de outubro de 2017. Atualizado às 00h01.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

bebidas

Notícia da edição impressa de 05/10/2017. Alterada em 04/10 às 20h53min

Ambev e Coca-Cola unificam investimento em reciclagem

Eternas rivais nas gôndolas dos supermercados, Coca-Cola e Ambev anunciaram uma união de seus investimentos em reciclagem. O programa conjunto vai apoiar financeiramente 110 cooperativas de catadores de material reciclável.
A iniciativa já vinha sendo discutida pelas empresas há cerca de um ano, de acordo com o vice-presidente de Relações Corporativas da Ambev, Pedro Mariani. A lógica por trás, conforme o vice-presidente de Relações Corporativas da Coca-Cola, Pedro Rios, é reduzir gastos com a gestão dos programas e atividades intermediárias. A previsão das empresas é que, juntas, elas conseguirão aumentar em até 25% os investimentos nas cooperativas.
O apoio a cooperativas tem ainda uma lógica econômica para as companhias. Ambev e Coca-Cola afirmam que hoje não há fornecimento de material reciclado suficiente para dar conta de tudo o que produzem em termos de embalagem, mas consideram que uma maior disponibilidade dos materiais reciclados poderia reduzir custos e, consequentemente, reduzir o preço e aumentar as vendas ao consumidor. A Ambev afirma que hoje 50% das garrafas PET de Guaraná Antarctica são feitas de material reciclado. Já a Coca-Cola destaca que as PETs retornáveis representam 15% do total de refrigerantes.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia