Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 03 de outubro de 2017. Atualizado às 11h10.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

Indústria Automotiva

Alterada em 03/10 às 11h11min

Vendas de veículos crescem 24,55% em setembro ante setembro de 2016, aponta Fenabrave

Na mesma base comparativa, as vendas de caminhões subiram 9,34%, chegando a 4,5 mil

Na mesma base comparativa, as vendas de caminhões subiram 9,34%, chegando a 4,5 mil


JONATHAN HECKLER/ARQUIVO/JC
Balanço divulgado nesta terça-feira (3) pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), entidade que representa as concessionárias de veículos, mostra que as vendas do setor cresceram 24,55% no mês passado, comparativamente a igual período de 2016. No total, 199,2 mil veículos foram comercializados em setembro, entre carros de passeio, utilitários leves, caminhões e ônibus.
A média diária de vendas foi de 9,96 mil unidades - 547 a mais do que a de agosto -, mas como setembro teve um calendário mais curto, com três dias úteis a menos, seu resultado foi 7,99% inferior ao total vendido no mês anterior.
O desempenho levou para 1,62 milhão de unidades o volume vendido desde o início do ano, 7,36% a mais do que o número dos nove primeiros meses de 2016.
Só na categoria de carros de passeio e comerciais leves - como picapes e vans -, as vendas chegaram a 193,6 mil unidades em setembro, 24,91% acima do total apurado no mesmo mês do ano passado.
Na mesma base comparativa, as vendas de caminhões subiram 9,34%, chegando a 4,5 mil, e as de ônibus tiveram alta de 33,45%, para 1,1 mil unidades.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia