Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 03 de outubro de 2017. Atualizado às 08h00.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 03/10 às 08h03min

Bolsas asiáticas fecham em alta, lideradas por Hong Kong, após recordes em Nova Iorque

As bolsas asiáticas encerraram os negócios desta terça-feira (3) em alta, seguindo o tom positivo dos mercados de Nova Iorque, que ontem fecharam em níveis recordes em reação a fortes dados da indústria manufatureira dos EUA. Já na China e na Coreia do Sul, as bolsas continuaram sem operar devido a um feriado que se estenderá até o fim da semana.
Hong Kong liderou os ganhos de hoje na Ásia, com valorização de 2,25%, a maior desde maio de 2016. O índice Hang Seng saltou para 28.173,21 pontos, impulsionado por ações de grandes bancos chineses e de montadoras, como Geely e Great Wall.
No fim de semana, o banco central chinês (PBoC) anunciou que irá reduzir o compulsório bancário entre 0,5 e 1 ponto porcentual a partir de 2018, em seu primeiro corte desde março de 2016, com o objetivo de incentivar empréstimos para pequenas empresas. Já a Geely teve sua recomendação elevada pelo Morgan Stanley para "overweight" (acima da média do mercado) e seus papéis dispararam 12,27% em Hong Kong.
Em Tóquio, o Nikkei subiu 1,05%, a 20.614,07 pontos, ajudado pela fraqueza do iene ante o dólar, fator que favorece ações de exportadoras negociadas na capital japonesa.
Em outras partes da Ásia, o Taiex mostrou alta apenas marginal em Taiwan, de 0,04%, a 10.469,35 pontos, enquanto em Manila, o filipino PSEi avançou 0,69%, a 8.312,93 pontos.
Na Oceania, por outro lado, a bolsa australiana foi pressionada por ações financeiras e de energia, após a queda de ontem nos preços internacionais do petróleo. O S&P/ASX 200 caiu 0,49% em Sydney, a 5.701,40 pontos.
Nesta madrugada, o Banco Central da Austrália (RBA, na sigla em inglês) decidiu manter seu juro básico na mínima histórica de 1,5%, como era amplamente esperado.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia