Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 25 de outubro de 2017.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Funcionalismo

25/09/2017 - 12h23min. Alterada em 25/09 às 13h30min

Sartori vai pagar primeiro quem ganha menos por 'justiça social'

Sartori, com secretários e vice-governador, citou que intenção de pagar salário menor existia desde 2015

Sartori, com secretários e vice-governador, citou que intenção de pagar salário menor existia desde 2015


Luiz Chaves/Palácio Piratini/Divulgação/JC
O governo gaúcho anunciou, nesta segunda-feira (25), a medida mais radical depois de mais de dois anos parcelando o pagamento de salários do funcionalismo. O governador José Ivo Sartori (PMDB) informou, ao retomar o posto após licença médica de sete dias, que vai pagar primeiro quem ganha menos. Mas Sartori e secretariado não falaram em valores e nem quando começarão a pagar quem ganha mais. Em nota, o Piratini diz que só depois de serem quitados os valores mais baixos é que começarão a ser honrados os vencimentos maiores. Servidores da faixa de menores valores começam a receber nesta sexta-feira (29).
Segundo o governador, o decreto 53.303, de novembro de 2016, que declara estado de calamidade financeira na Administração Pública Estadual embasou o critério de pagamento. “Todos sabem que, desde o começo do parcelamento de salários, pedi que fosse encontrada uma forma de pagar primeiro quem ganha menos. É uma questão de justiça social: não se pode tratar igualmente os desiguais. Entretanto, algumas questões judiciais impediram que essa decisão fosse aplicada”, afirmou o governador no anúncio à imprensa.
Ao mesmo tempo em que pediu compreensão ao funcionalismo, o governador declarou que "estamos muito perto de encontrar uma solução para o equilíbrio financeiro do Estado, o que significa também o fim do parcelamento de salários". Mas não houve esclarecimento sobre o que existe de prático.
Até agora, o Estado vinha pagando com parcelas menores, como R$ 350,00 no primeiro depósito nos meses recentes, mas sem diferenciar por faixas. Outra informação é que a décima parcela do 13º salário de 2016 será quitada também no dia 29, não entrando neste regime da folha. O governo parcelou a chamada gratificação natalina do ano passado e começou a pagar em fim de dezembro passado, mesmo sem ter autorização da Assembleia Legislativa. 
O secretário estadual da Fazenda, Giovani Feltes, informou que na quinta-feira (28) define o valor a ser pago e dependerá dos recursos disponíveis no caixa. “Não se trata de estabelecer faixas. O grupo será formado de acordo com o montante disponível em caixa”, afirmou Feltes. A situação é “angustiante”, definiu o secretário.    
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Claudio Baptista 25/09/2017 20h39min
QUER DIZER QUE AQUELES QUE RECEBIAM NA TOTALIDADE, PASSARÃO A RECEBER TAMBÉM PARCELADOS, APÓS O PAGAMENTOS DOS DE SALARIOS MENORES?