Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 18 de setembro de 2017. Atualizado às 22h47.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

artigo

Notícia da edição impressa de 19/09/2017. Alterada em 18/09 às 19h20min

Saúde ao alcance da população

André Pacheco
Você sabia que hoje existem, no País, 1.158 novas unidades do Sistema Único de Saúde (SUS) que foram construídas e nunca abriram suas portas para atender a população? Pois bem, isso é verdade e está acontecendo por falta de verba de custeio ou falhas no planejamento dos governos. Conforme os dados do Ministério da Saúde, estão nesta situação 165 UPAs e 993 Unidades Básicas de Saúde (UBSs). Um investimento de R$ 1 bilhão do Ministério da Saúde com obras de serviços jamais inaugurados.
Em Viamão, isso só não aconteceu devido ao comprometimento do governo municipal, que investiu recursos próprios para concluir as obras e abrir as portas da UPA 24 horas em dezembro de 2015, arcando também com a compra dos equipamentos, mobiliário, remédios, insumos e contratação de profissionais. Para se ter ideia, foram 18 meses custeados somente pelo município, cerca de R$ 900 mil por mês, totalizando R$ 16,2 milhões no período.
Mas, olhando para trás, tudo isso vale muito quando se tratam de vidas.
A UPA 24 horas, desde que abriu suas portas, atende a uma média de 8 mil pacientes por mês. Neste período (18 meses), realizou cerca de 144 mil atendimentos de urgência e emergência, o que representa 58% de toda a população da cidade.
Faz três meses que a UPA 24 horas recebeu sua habilitação, e, desde então, o Ministério da Saúde está repassando R$ 250 mil por mês, o que equivale a 28% do montante total do custeio mensal. Os outros R$ 650 mil estão sendo custeados pelo município. Falta ainda o aporte por parte do Estado, que está previsto em convênio, mas que, de fato, ainda não aconteceu.
Agora, quando Viamão completou 276 anos, no dia 14 de setembro, a prefeitura entregou para a comunidade a UBS São Lucas, concluída sua construção com recursos próprios. Com isso, o município passará a disponibilizar para a população 17 UBSs, uma unidade de atendimento especializado (na parada 44), quatro CAPS, um Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) e uma UPA 24 horas.
Prefeito de Viamão (PSDB)
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia