Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 20 de setembro de 2017. Atualizado às 11h52.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Relações internacionais

Alterada em 21/09 às 18h48min

EUA vetam passagem de navios e aviões que visitaram a Coreia do Norte

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, decidiu proibir por 180 dias a passagem pelo país de navios e aviões que tenham estado previamente na Coreia do Norte. O anúncio foi feito nesta quinta-feira pelo secretário do Tesouro dos EUA, Steve Mnuchin, que explicou que esse veto será aplicado também contra navios que tenham feito comércio com outras embarcações que visitaram a Coreia do Norte nos últimos 180 dias.
"Convidamos todos os países a se unirem a nós", indicou Mnuchin em uma entrevista coletiva paralela à 72ª Assembleia-Geral da ONU, ao comentar a nova ordem executiva anunciada por Trump horas antes estabelecendo mais sanções contra Pyongyang. As novas sanções contra o regime de Kim Jong-un foram anunciadas em um almoço de Trump com o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, e o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe.
"As instituições financeiras estão agora avisadas que, daqui em diante, podem escolher se querem fazer negócios com os EUA ou com a Coreia do Norte, mas não com ambos", afirmou o secretário.
O objetivo da Casa Branca, segundo o decreto presidencial, é aumentar ao máximo a pressão sobre a Coreia do Norte, para mostrar aos seus líderes que o melhor e único caminho é o retorno à desnuclearização.
Além disso, Trump informou que o Banco Central da China decidiu encerrar suas transações financeiras com a Coreia do Norte, embora Pequim não tenha confirmado por enquanto essa medida.
Em discurso na Assembleia-Geral da ONU na última terça-feira, Trump alertou que poderá "destruir totalmente" a Coreia do Norte se o regime de Kim Jong-un não parar de fazer ameaças.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia