Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 14 de setembro de 2017. Atualizado às 00h18.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Venezuela

Notícia da edição impressa de 14/09/2017. Alterada em 13/09 às 20h11min

Parlamento Europeu quer sanções contra a Venezuela

O Parlamento Europeu emitiu um comunicado ontem afirmando que não reconhece a Assembleia Constituinte da Venezuela e pediu que a União Europeia (UE) congele os ativos de todos os cidadãos envolvidos nas "graves violações de direitos humanos" no país sul-americano. Em uma resolução aprovada por 526 votos contra 96, com 59 abstenções, os parlamentares europeus condenaram as eleições para a Constituinte de 30 de julho e a qualificaram como uma "violação à separação de poderes".
Foi solicitado à chefe de política externa da União Europeia, Federica Mogherini, e ao Conselho Europeu que considerem o congelamento dos recursos de venezuelanos ligados à crise. "A região da América Latina e do Caribe é, mais do que nunca, um parceiro chave da UE. Mas o diálogo político deve ser reforçado, e as negociações comerciais devem acelerar", afirmou o Parlamento Europeu no comunicado.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia