Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 09 de setembro de 2017. Atualizado às 11h44.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

clima

09/09/2017 - 11h46min. Alterada em 09/09 às 11h46min

Furacão Irma atinge Cuba com ventos de 250 km/h e perde força

Mar agitado, céu escuro, rajadas de chuva, palmeiras encurvadas foram vistas na costa de Cuba

Mar agitado, céu escuro, rajadas de chuva, palmeiras encurvadas foram vistas na costa de Cuba


ADALBERTO ROQUE/AFP/JC
Folhapress
O furacão Irma teve uma leve enfraquecida neste sábado ao atingir a costa norte de Cuba e foi reclassificado da categoria 5 para a categoria 4, as maiores da escala. A tempestade tem ventos de até 250 km/h, de acordo com o NHC, o Centro Nacional de Furacões dos EUA.
Irma, uma das tempestades mais fortes a atingir o Atlântico em um século, deve atingir a Flórida nas primeiras horas de domingo (10) e causar estragos devido aos fortes ventos e inundações.
As cenas de destruição ao longo da costa norte de Cuba são similares às que ocorreram em outras ilhas do Caribe ao longo dos últimos dias. A tempestade atingiu a província de Ciego de Avila por volta de meia-noite.
Mar agitado, céu escuro, rajadas de chuva, palmeiras encurvadas, fortes ondas quebrando em muros na praia e fornecimento de energia suspenso foram noticiados pela TV estatal em Cuba.
Meteorologistas alertam que o furação deve deixar uma grande devastação na costa de Cuba conforme a tempestade se move no sentido oeste. Depois, a previsão é que ele mude de direção e siga para o norte, rumo aos EUA.
A expectativa é que o furacão volte a ganhar força no caminho entre Cuba e EUA.
De acordo com o último boletim do NHC, Irma está a 395 km da Flórida. O governo local ordenou que mais de 5,6 milhões de habitantes deixem suas casas.
No Caribe, o Irma destruiu casas, lojas, estradas e escolas, além de causar pelo menos 21 mortes.
Em St. Martin e St. Barts, foram anunciadas nove mortes. Autoridades, porém, dizem que o número pode aumentar, já as equipes de resgate ainda não tiveram uma visão total dos estragos. O Itamaraty recebeu um pedido de ajuda de brasileiros na ilha.
No lado holandês da ilha, o governo relatou saques em lojas. Policiais foram deslocados para a área.
Quatro pessoas morreram nas Ilhas Virgens dos EUA, onde as autoridades descrevem os danos como catastróficos.
Um bebê de dois anos cuja família tentava deixar a residência durante a passagem do furacão morreu em Antígua e Barbuda. Em Cuba, um milhão de pessoas foram retiradas.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia