Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 08 de setembro de 2017. Atualizado às 19h44.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Clima

08/09/2017 - 14h23min. Alterada em 08/09 às 14h23min

Itamaraty ainda não registra brasileiros entre vítimas de terremoto no México

Agência Brasil
O Itamaraty informou há pouco que ainda não há registro de cidadãos brasileiros entre as vítimas do terremoto no México e que seguirá acompanhando a situação, por meio do Consulado-Geral do Brasil na Cidade do México, em coordenação com a Divisão de Assistência Consular. "O governo brasileiro manifesta sua solidariedade aos feridos, ao povo e ao governo do México, bem como suas condolências aos familiares das vítimas fatais", diz ainda nota.
Para os casos de urgência, o ministério disponibilizou um telefone de plantão do Consulado-Geral do Brasil no México +52 (155) 3455-3991. O Núcleo de Assistência a Brasileiros do Itamaraty, em Brasília, poderá também ser acionado pelo e-mail dac@itamaraty.gov.br e, também, pelos telefones +55 61 2030 8803/8804 (das 8h às 20h) e + 55 61-98197-2284 (Plantão Consular, das 20h às 8h).
O forte terremoto que atingiu o México na madrugada desta quinta-feira (8) deixou pelo menos 32 mortos no Sul do país - 23 no estado de Oaxaca, sete em Chiapas e dois em Tabasco -, segundo indica um relatório preliminar das autoridades, de acodo com informações da agência de notícias EFE.
Em uma mensagem à imprensa enviada do Centro Nacional de Prevenção de Desastres (Cenapred), o presidente do México, Enrique Peña Nieto, disse que o terremoto tem uma magnitude similar a de um registrado em 1932 e foi maior que o de 1985, de 8,1 graus e que deixou milhares de mortos e desaparecidos na Cidade do México.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia