Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 08 de setembro de 2017. Atualizado às 18h59.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

eliminatórias da copa

05/09/2017 - 22h59min. Alterada em 05/09 às 22h59min

Argentina tropeça na Venezuela e segue na berlinda

Folhapress
Dois jogos com o novo técnico Jorge Sampaoli e dois empates frustrantes. Após o 0 a 0 com o Uruguai em Montevidéu, o tropeço da Argentina nesta terça-feira (5) foi em casa -1 a 1 com a lanterna Venezuela- e aumentou o calvário da seleção nas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018.
A Argentina foi a 24 pontos e segue fora da zona que dá classificação direta para o Mundial: está em quinto, posição que garante apenas vaga na repescagem contra a Nova Zelândia. Já a Venezuela, em último e já eliminada, subiu para oito pontos.
Na próxima rodada, em 5 de outubro, os argentinos recebem o Peru. Já no dia 10, encerram a participação nas Eliminatórias contra o Equador, fora de casa.
Toda a pressão da Argentina, que jogou o tempo todo no campo de ataque, não foi o bastante para impedir que a Venezuela abrisse o placar. Logo no começo do segundo tempo, os visitantes roubaram a bola no centro do campo e dispararam em velocidade contra uma defesa desorganizada. Murillo recebeu o passe em profundidade e, frente a frente com Romero, não desperdiçou: 1 a 0.
A Argentina chegou ao empate logo após tomar o gol. Acuña, que entrou no lugar do lesionado Di María, fez grande jogada pela esquerda e cruzou na medida para Mauro Icardi desviar para as redes. Foi o primeiro gol do centroavante da Inter de Milão pela seleção principal.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia