Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 08 de setembro de 2017. Atualizado às 18h55.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

eliminatórias da copa

05/09/2017 - 20h13min. Alterada em 05/09 às 20h13min

Peru surpreende Equador em Quito e vence a terceira seguida nas Eliminatórias

Edison Flores comemora com companheiros de seleção depois de marcar contra a meta equatoriana

Edison Flores comemora com companheiros de seleção depois de marcar contra a meta equatoriana


JUAN RUIZ/AFP/JC
O Peru obteve um grande feito nesta terça-feira ao superar a seleção equatoriana por 2 a 1, mesmo jogando no Estádio Olímpico Atahualpa, em Quito. Foi a terceira vitória consecutiva da equipe, que dominou o adversário desde o início e teve chances de ganhar por uma placar ainda maior.
O resultado deixou o Peru provisoriamente na quarta posição das Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo da Rússia, com 24 pontos, quatro na frente do Equador, apenas o oitavo. As duas seleções jogam fora de casa pela penúltima rodada, no dia 5 de outubro: os equatorianos tentam se redimir contra o Chile, enquanto os peruanos duelam com a Argentina.
Embora precisassem da vitória para se manterem com chances de classificação, as duas seleções viviam momentos bem distintos. O Peru não perdia há três partidas, sequência que o fez sonhar com a classificação ao Mundial da Rússia. E os equatorianos foram derrotados nas três - a última delas para o Brasil.
E bom momento peruano se fez valer desde o início. A equipe do técnico Ricardo Gareca, ex-Palmeiras, se fechava bem atrás e saía aos contra-ataques. E, assim, quase abriu o placar aos seis minutos, quando Édison Flores arriscou de fora da área, com força, no ângulo - Máximo Banguera fez excelente defesa.
Aos poucos, contudo, o Equador equilibrou o duelo. Com Arboleda, Orejuela e Cazares como titulares, além de Antonio Valencia, do Manchester United, a seleção da casa dominou o meio-campo e encurralou o Peru durante parte do primeiro tempo.
A equipe, assim, chegava em jogadas rápidas pelas laterais, embora constantemente errasse os cruzamentos. E, após um deles, feito por Orejuela aos 25, a bola pegou efeito contrário, Cáceda apenas olhou e ela bateu no travessão. O goleiro se redimiria no lance seguinte ao defender chute rasteiro de Antonio Valencia.
Pressionada, enfim, a seleção de Trauco, Cueva e Paolo Guerrero reagiu no minuto posterior: o meia do São Paulo recebeu na entrada da área, pela direita, e bateu colocado e no ângulo. A bola saiu por pouco.
E foi em novo chute de fora da área que o Peru quase ampliou aos 36, agora com Guerrero exigindo boa defesa de Banguera. Na cobrança de escanteio, porém, o goleiro saiu mal e a bola sobrou para Carrillo chutar rasteiro e sem força. Ramírez salvou já quase em cima da linha.
Se já era mais perigoso no primeiro tempo, o Peru passou a dominar totalmente o duelo na etapa final. Em finalizações de Cueva no primeiro minuto e de Guerrero no segundo, a equipe visitante quase abriu o placar. Tapia também bateu com perigo aos seis, forte e rasteiro, no canto, mas Banguera salvou. Guerrero ainda teria outra boa oportunidade aos dez - e chutou por cima.
O gol parecia questão de tempo. E ele realmente saiu aos 27, na mais tradicional jogada peruana durante o duelo: uma finalização de fora da área, dessa vez de Édison Flores, no canto. Banguera ainda resvalou na bola, mas não conseguiu salvar. E, apenas três minutos depois, após contra-ataque arquitetado por Guerrero e Cueva, Hurtado recebeu sozinho e bateu rasteiro para ampliar.
O Equador se lançou totalmente ao ataque e ainda descontou cinco minutos depois, após Enner Valência converter pênalti sofrido por ele próprio - o zagueiro Christian Ramos recebeu o segundo cartão amarelo pela falta e foi expulso. O Peru, ainda assim, se segurou até o final, chegou ao terceiro triunfo consecutivo e passou a realmente sonhar com uma vaga na Copa.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia