Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 08 de setembro de 2017. Atualizado às 17h04.

Jornal do Comércio

Expointer 2017

COMENTAR | CORRIGIR

Trabalho

02/09/2017 - 21h39min. Alterada em 02/09 às 21h44min

Preparador de animais ganha até um salário mínimo ao dia

A vida de Agnaldo Cavalheiro é percorrer o Brasil cuidando de vacas em feiras. Não é trabalho simples, pois elas disputam prêmios e precisam fazer bonito. Na Expointer em Esteio, Cavalheiro faz tosquia, cuida de cada detalhe do úbere (onde fica a cadeia mamária, portanto o leite), arremata dorso para deixar tudo perfeito e ainda maquia. É um autêntico banho de salão de beleza como dizem as mulheres que não deixam de cuidar de detalhes estéticos.
A função em cada vaca, como a Sali, que venceu o concurso de maior produção de leite, com 66 quilos em cinco ordenhas, dura mais de uma hora e meia. "Toda mulher gosta de ficar bonita, as vacas também", garante, que ressalta que a saúde do animal vem em primeiro lugar. 
É uma atividade que exige esforço, não tem hora para acordar ou dormir, diz cavalheiro, que é técnico agrícola e fez curso no Exterior. Ele diz que recebe de R$ 500,00 a um salário mínimo por dia em feiras. O valor pode variar se for atender animais. Dá para ficar rico? "Todo mundo sonhar em ficar, mas dá para viver vem neste ramo."
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia