Porto Alegre, sexta-feira, 16 de outubro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 16 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

HOSPITAIS

- Publicada em 14h50min, 22/09/2017. Atualizada em 16h59min, 15/10/2020.

Obras da nova radioterapia do Hospital de Caridade de Ijuí estão em fase final

Apesar de todas as dificuldades de financiamento para a saúde, o Hospital de Caridade de Ijuí (HCI) tem buscado alternativas para reverter a crise financeira que atinge os hospitais filantrópicos. Uma das metas para este ano é a ampliação do serviço de radioterapia, que promete qualificar o atendimento aos pacientes, principalmente do Sistema Único de Saúde (SUS) e outros convênios. Segundo a arquiteta Raquel Radaelli, com a finalização da obra de infraestrutura, que teve investimento de R$ 1,5 milhão, o próximo passo é a última fiscalização, prevista para outubro, da equipe de engenharia da Elekta, fabricante do equipamento chamado acelerador linear.
Apesar de todas as dificuldades de financiamento para a saúde, o Hospital de Caridade de Ijuí (HCI) tem buscado alternativas para reverter a crise financeira que atinge os hospitais filantrópicos. Uma das metas para este ano é a ampliação do serviço de radioterapia, que promete qualificar o atendimento aos pacientes, principalmente do Sistema Único de Saúde (SUS) e outros convênios. Segundo a arquiteta Raquel Radaelli, com a finalização da obra de infraestrutura, que teve investimento de R$ 1,5 milhão, o próximo passo é a última fiscalização, prevista para outubro, da equipe de engenharia da Elekta, fabricante do equipamento chamado acelerador linear.
"A partir da vistoria, o engenheiro da multinacional irá autorizar o início da instalação do equipamento, com técnicos vindos dos Estados Unidos ou da Europa. O tempo estimado para instalação do equipamento é de um mês", disse a arquiteta. A radioterapia do Centro de Alta Complexidade em Oncologia (Cacon), que é referência para mais de 120 municípios da macrorregião, atualmente compreende uma área física de 384,57 m2 e, com a ampliação, resultará em 667,42 m2.
Comentários CORRIGIR TEXTO