Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 29 de setembro de 2017. Atualizado às 09h16.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Conjuntura

Alterada em 29/09 às 09h17min

Confiança de serviços sobe 2,4 pontos em setembro ante agosto, revela FGV

O Índice de Confiança de Serviços (ICS) subiu 2,4 pontos na passagem de agosto para setembro, para 85,6 pontos, na série com ajuste sazonal, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) besta sexta-feira (29). O resultado é o mais elevado desde dezembro de 2014.
Mas o Nível de Utilização da Capacidade Instalada (Nuci) do setor de serviços encolheu de 82,1% em agosto para o piso histórico de 81,5%, patamar que já tinha sido registrado no mês de junho. "A boa notícia é que, ao longo do terceiro trimestre, as avaliações empresariais sobre a situação corrente e a dos próximos meses mantiveram um perfil equilibrado. Nos meses anteriores, eram as expectativas que vinham ancorando a melhora da confiança. Assim, é possível que a reação na atividade real do setor ganhe um impulso mais claro nos próximos meses", avaliou Silvio Sales, consultor do Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre/FGV), em nota oficial.
Houve melhora na confiança de 11 das 13 principais atividades pesquisadas. O Índice da Situação Atual (ISA-S) avançou 3,2 pontos em setembro, enquanto o Índice de Expectativas (IE-S) cresceu 1,6 ponto.
No ISA-S, os subindicadores de Volume de Demanda atual e da Situação atual dos negócios tiveram avanços de 3,2 pontos cada, retornando a patamares semelhantes aos do início de 2015. No IE-S, a principal influência foi da avaliação sobre a Tendência dos Negócios para os seis meses seguintes, que subiu 2,0 pontos.
A coleta de dados para a edição de setembro da sondagem foi realizada pela FGV entre os dias 4 e 26 deste mês.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia