Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 26 de setembro de 2017. Atualizado às 23h44.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Infraestrutura

Notícia da edição impressa de 27/09/2017. Alterada em 26/09 às 23h38min

Cemig espera ficar com pelo menos uma usina

O presidente da Cemig, Bernardo Alvarenga, disse ontem que ainda tem expectativa de que ao menos a hidrelétrica de Miranda, uma das quatro usinas da estatal que o governo pretende leiloar hoje, fique sob o controle da empresa mineira. A proposta foi apresentada ontem à Advocacia-Geral da União (AGU) e ao Supremo Tribunal Federal (STF).
"Estamos com expectativa boa. Estamos com a intenção de conseguir resolver essa situação hoje", disse Alvarenga ao chegar no STF para um encontro com o ministro Dias Toffoli. A proposta é de que o leilão seja mantido, apesar da retirada de Miranda da oferta. Alvarenga estava acompanhado do deputado Fabio Ramalho (PMDB-MG), que tem articulado as movimentações da Cemig em Brasília. Apesar do otimismo do presidente da Cemig, o deputado disse que a retirada de Miranda da licitação levaria sim ao adiamento do leilão.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia