Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 26 de setembro de 2017. Atualizado às 15h30.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Petróleo

Alterada em 26/09 às 15h35min

ANP habilita 11 empresas para disputar áreas do pré-sal em outubro

Serão duas rodadas de licitação no mesmo dia, em que a ANP oferecerá oito áreas

Serão duas rodadas de licitação no mesmo dia, em que a ANP oferecerá oito áreas


VITORIA VELEZ/AFP/ARQUIVO/JC
Folhapress
A ANP (Agência Nacional do Petróleo) informou nesta terça-feira (26) que 11 empresas foram habilitadas para disputar áreas do pré-sal em leilões agendados para o dia 27 de outubro. Oito delas estarão presentes nos dois leilões e três, em apenas um. Serão duas rodadas de licitação no mesmo dia, em que a ANP oferecerá oito áreas. Se vender todas, o governo terá uma arrecadação de R$ 7,75 bilhões.
Entre as inscritas para os dois leilões, estão companhias que já têm presença no pré-sal, como a anglo-holandesa Shell, a norueguesa Statoil, a espanhola Repsol, a francesa Total e a portuguesa Galp, além da Petrobras. A gigante americana ExxonMobil, que já tentou, sem sucesso, encontrar reservas no país, também está inscrita para as duas disputas, assim com a Petronas, da Malásia.
No primeiro leilão, a ANP oferecerá jazidas adjacentes a reservas já descobertas, mas que se estendem para fora da área de concessão original: Sapinhoá, Carcará, Gato do Mato e Tartaruga Verde. A Petrobras exerceu direito de preferência por Sapinhoá, pedaço do segundo maior campo brasileiro atualmente. Isso significa que, independente de quem for o vencedor do leilão, a estatal terá direito a decidir por uma fatia 30% do consórcio e pela operação da área.
Carcará é hoje uma concessão operada pela Statoil. Já a concessão de Gato do Mato é da Shell. As duas devem fazer lances pelas áreas em oferta. Já a concessão de Tartaruga Verde é da Petrobras, mas a empresa está tentando vender o negócio, como parte de seu plano de desinvestimentos.
No segundo leilão, a ANP oferecerá novas áreas do pré-sal, chamadas Pau Brasil, Peroba, Alto de Cabo Frio-Oeste e Alto de Cabo Frio-Central. A Petrobras decidiu exercer o direito de preferência por duas áreas: Peroba e Alto de Cabo Frio.
A primeira está localizada no limite entre os Estados do Rio e São Paulo, perto dos dois maiores campos produtores do país - Lula e Sapinhoá. Alto de Cabo Frio-Central fica ao norte da Bacia de Santos, em uma área ainda pouco explorada. Além das oito empresas já citadas, participarão dessa disputa a britânica, BP, a chinesa CNOOC e a QPI, do Catar.
Nesta quarta (27), a ANP realiza a 14ª Rodada de Licitações com foco no pós-sal. Serão oferecidas 287 áreas espalhadas pelo Brasil. Para esta disputa, 32 empresas estão inscritas. Com os três leilões, a agência estima que o Brasil terá US$ 80 bilhões em investimentos, metade disso em São Paulo, que deve se tornar o principal foco de crescimento da produção nacional nos próximos anos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia