Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 26 de setembro de 2017. Atualizado às 14h14.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

investimentos

Alterada em 26/09 às 14h18min

Dez investidores já estão inscritos para road show da Lotex em Londres, diz Bndes

Dez representantes de investidores já estão inscritos para participar, na quinta e na sexta-feira, de "road shows", em Londres, sobre o leilão de concessão da Lotex, o serviço de loterias instantâneas, como as "raspadinhas", afirmou nesta terça-feira Guilherme Albuquerque, chefe de departamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Bndes) responsável pela operação.
Além do Bndes, representantes do Ministério da Fazenda e do Programa de Parcerias e Investimentos (PPI) farão parte da comitiva ao exterior. Depois da capital inglesa, a comitiva segue, na próxima semana, para os Estados Unidos. Em vez de Nova Iorque, tradicional destino de "road shows" para investidores, a parada será Las Vegas, capital mundial dos jogos de azar, onde acontece uma feira de negócios do setor.
"O Brasil é um mercado com um potencial enorme. A gente tem em torno de dez investidores confirmados nos road shows internacionais", disse Albuquerque, em audiência pública sobre o processo de privatização da Lotex, encerrado no Rio.
Segundo o executivo do Bndes, as principais empresas globais do setor de loterias instantâneas vêm mantendo contato com o governo e já estudam o mercado brasileiro há bastante tempo. A expectativa é que o interesse venha de investidores estrangeiros, pois não há empresas do setor atuando no País atualmente e os critérios de qualificação técnica previstos para o edital são elevados.
Entre as grandes empresas do setor estão a americana Scientific Games, a britânica IGT e a Intralot, baseada na Grécia. A Scientific Games mandou representante à audiência pública, segundo Albuquerque. A Intralot tem subsidiária no Brasil desde 2010, quando começou uma parceria com a Loteria Mineira, do governo de Minas Gerais.
Na audiência, Albuquerque deixou claro que até mesmo a Caixa Econômica Federal, que deixou de operar loterias instantâneas em 2015, poderia participar do leilão. "Não há vedação à participação da Caixa nesse processo", afirmou o executivo do Bndes, ressaltando que, como qualquer interessado, o banco federal teria que cumprir as exigências do edital ou se associar a uma empresa que as cumprisse.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia