Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 26 de setembro de 2017. Atualizado às 10h00.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 26/09 às 10h03min

Juros futuros passam a oscilar perto dos ajustes com a desaceleração do dólar

Os juros futuros devolveram nesta terça-feira (26) a alta registrada mais cedo, na esteira do dólar forte no exterior e ante o real. A correção segue a desaceleração do dólar ante o real e leva as taxas a oscilarem próximas dos ajustes anteriores em meio a expectativas pela leitura da segunda denúncia contra o presidente Michel Temer na Câmara, que foi adiada na segunda-feira pela segunda vez por falta de quórum.
Além disso, os operadores aguardam um discurso da presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Janet Yellen (12h50min). Está no radar ainda a votação do Refis, marcada para quarta-feira.
Em Londres, pouco antes do fechamento deste texto, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que participa de evento organizado pelo Itaú BBA, disse que chegará na quarta ao Brasil e deverá entrar direto nas discussões do Refis. "Espero que se chegue a um acordo (sobre texto do refis) nos próximos dias", afirmou.
Às 9h45min, o DI para janeiro de 2019 exibia 7,31%, mesmo nível do ajuste de segunda-feira. O DI para janeiro de 2020 estava em 8,13%, de 8,14%, enquanto o vencimento para janeiro de 2021 estava em 8,80%, na mínima, de 8,84% no ajuste de segunda.
No câmbio, o dólar à vista desacelerava a alta para 0,17%, aos R$ 3,1616. O dólar futuro para outubro avançava 0,05%, aos R$ 3,1625.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia