Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 25 de setembro de 2017. Atualizado às 15h10.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Turismo

Notícia da edição impressa de 25/09/2017. Alterada em 24/09 às 22h20min

Mapa do Turismo ganha mais cidades no Estado

Cachoeira do Sul, recém-inserida, deverá ganhar placas de sinalização

Cachoeira do Sul, recém-inserida, deverá ganhar placas de sinalização


/CORSAN/DIVULGAÇÃO/JC
Adriana Lampert
Aproveitar o potencial receptivo da região do entorno, investindo em treinamento de pessoas, sinalização e outras melhorias é a meta da Secretaria de Indústria e Comércio (Smic) de Cachoeira do Sul, cidade recém-inserida no novo Mapa do Turismo do Estado. Formulado a partir de dados dos municípios, enviados pelo governo do Estado para o governo federal, o documento serve para que os administradores das cidades possam planejar ações de melhoria em infraestrutura dos aparelhos turísticos, contando com possibilidade de recursos da União (sempre com uma contrapartida).
Ao todo, este ano 371 municípios mostraram potencial para desenvolver a atividade e fazer do turismo uma alavanca para desenvolver a economia local. Isso representa 75% das cidades gaúchas - um crescimento de 26% em relação ao ano passado, quando o mapa apontava 294 municípios no Rio Grande do Sul. Em 2017, o número de regiões se manteve (27) em relação ao mapa anterior.
Segundo o diretor do Departamento de Ordenamento Turístico do Ministério do Turismo (Mtur), Rogério Coser, a ideia é incentivar os governos municipais a avaliarem - através de conselhos regionais - a vocação para o turismo local, e, a partir daí, buscar investimentos para melhor receber os visitantes. Dentre as ações que deverão ser aplicadas em Cachoeira do Sul, que até então estava fora do mapa, a meta da prefeitura é inserir placas de sinalização, realizar cursos de treinamento para bem atender o público e ampliar os recursos para a divulgação dos atrativos da cidade, enumera o secretário de Indústria e Comércio do município, Ronaldo Tonet.
O titular do Mtur destaca que nos últimos cincos anos, a pasta teve decréscimo orçamentário de 62%. "Por isso é tão importante saber direcionar os recursos, e o mapa do turismo ajuda neste sentido", reforça.
Apesar de facilitar a aplicação de verba pública federal em projetos regionais, a ferramenta não pode ser a única alternativa para as cidades com menos destaque quando se fala em número de visitantes e atrativos, se comparadas aos principais destinos turísticos do Estado - como Gramado e Canela. Um exemplo é Nova Petrópolis (inclusa no mapa), que tem como maior atrativo o parque Aldeia do Imigrante, que precisa de investimento em manutenção e melhorias. Neste sentido, a forma encontrada pela prefeitura do município foi disponibilizar o complexo para exploração e revitalização por contrato de concessão de área pública.
Para isso, um processo de licitação será aberto dia 8 de novembro, para que sejam entregues os documentos de habilitação, bem como a proposta técnica e financeira para concessão de uso onerosa do parque. O prazo de concessão será de 12 anos, podendo ser prorrogado por igual período. A conservação e operação deve ocorrer por meio de operadores especializados nas áreas da cultura, lazer, entretenimento, turismo e empresarial, do complexo. "Acreditamos ser um avanço importante para o futuro do parque Aldeia do Imigrante e do município, uma vez que a concessão permitirá novos investimentos", explica o secretário municipal de Turismo, Indústria e Comércio, Paulo Roberto Staudt.
"Para nos inserir no mapa do turismo gaúcho, corremos atrás de muitos documentos, enviamos previsão orçamentária à Sedactel (Secretaria Estadual de Turismo, Esporte e Lazer), e fizemos um inventário turístico do município", resume o gestor da Smic de Cachoeira do Sul. A prefeitura local também se debruçou em um calendário turístico, apontando todos os eventos que ocorrem na cidade, e que podem interessar o público de fora.
Outra iniciativa que Tonet precisou tomar foi incluir o município no Comitê de Turismo do Consórcio Intermunicipal Vale do Jacuí, que compreende 12 cidades da região Central. "Há seis meses, participamos de reuniões mensais para integração turística regional e estamos nos inserindo no contexto regional, por entendermos que o fluxo turístico é mais intenso, quando pensamos também na estrutura das cidades próximas." 

Levantamento listou mais de três mil localidades em todo o Brasil

Taquari ficou de fora da listagem em 2016 por não ter conselho

Taquari ficou de fora da listagem em 2016 por não ter conselho


/FLAPI2012/VISUALHUNT.COM/DIVULGAÇÃO/JC
O levantamento completo do Mapa do Turismo Brasileiro (onde está inserido o mapa gaúcho) listou 3.285 municípios em 328 regiões turísticas de todo o País. "Isso representa um crescimento exponencial em relação ao Mapa de 2016, quando foram registradas 2.175 cidades em 291 regiões", destaca o diretor do Departamento de Ordenamento Turístico do Ministério do Turismo (Mtur), Rogério Coser. De acordo com o gestor da pasta, o aumento na participação é resultado de uma conscientização junto aos gestores municipais e estaduais a respeito da necessidade de identificação e classificação das cidades para que as políticas públicas e investimentos sejam mais adequados à realidade de cada região.
"Fizemos tudo o necessário para colocar Taquari no mapa do turismo gaúcho", destaca a coordenadora de Cultura do município, Sabrina Pereira de Freitas. "O mapa abre muitas portas, e exige organização dos destinos, onde devem haver conselhos para ir atrás dos recursos e novos negócios." Em 2016, a cidade ficou fora da listagem justamente por não manter um conselho de turismo. "Mas agora estamos organizados. Agarramos todas as possibilidade que havia para estar dentro do mapa do turismo brasileiro", comenta Sabrina.
"Existe uma possibilidade boa de o município melhorar utilizando da infraestrutura cadastrada oficialmente", observa o diretor de turismo da Sedactel, Abdon Barreto Filho. "Procuramos orientar as cidades nas 27 regiões turísticas, afinal o posicionamento do turismo, envolve além do atrativo turístico também a infraestrutura (só assim temos um produto turístico", explica. "No Rio Grande do Sul, muitos destinos estão prontos, mas há vários onde é preciso melhorar a infraestrutura, e é nosso papel ajudá-los." Barreto lembra que é muito importante os meios de hospedagens, agências e estabelecimentos ligados à gastronomia enviarem informações para o Cadastur do Mtur. "É obrigatório, e serve para ampliar a formalização do setor." 
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia